Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da participação da orexina na interação entre os sistemas de controle da fome e da recompensa em animais espontaneamente magros e obesos mantidos em ração normocalórica

Processo: 16/09270-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Gabriel Forato Anhê
Beneficiário:Joseane Morari Ricciardi de Aguiar
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07607-8 - CMPO - Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Obesidade e Doenças Associadas, AP.CEPID
Assunto(s):Hipotálamo   Obesidade

Resumo

A obesidade é um dos maiores problemas de saúde mundial, sendo hoje uma das doenças que mais crescem em todo o mundo. Na população mundial existem indivíduos que ganham peso em intesidades diferentes, mesmo sem evidente aumento absoluto da ingestão diária da quantidade de gorduras, o que sugere que fatores extra-ambientais como determinantes genéticos ou epigenéticos tem uma relevância bastante importante no desenvolvimento desta doença. Sabe-se que o controle da fome se dá através dos sistemas homeostático e hedônico. O hipotálamo (controle central do sistema homeostático) apresenta importante função na regulação da homeostase energética, controlando a fome e saciedade, assim como o gasto energético, através de sua sensibilidade e resposta aos principais hormônios reguladores de fome (grelina) e saciedade (leptina e insulina). O sistema de recompensa também é capaz de responder a esses hormônios, de forma que a sinalização oriunda de cada um deles irá influenciar num aumento ou diminuição da liberação de dopamina, acarretando em alterações na ingestão alimentar. Entretanto, pouco se conhece a respeito dos circuitos que integram a comunicação entre o sistema homeostático e o sistema hedônico no controle da fome. Assim, o projeto tem como objetivo avaliar as alterações presentes na produção de neuropeptídios e neurotransmissores em animais espontaneamente magros e obesos mantidos em dieta normocalórica (ração padrão para roedores). Além disso, o estudo pretende observar se existem alterações metabólicas nesses animais, como por exemplo uma diminuição na sensibilidade à insulina, leptina e grelina, além de verificar a existência de circuitos neuronais que integrem os importantes sistemas que controlam a fome (homeostático e de recompensa). Em especial, os experimentos desenhados irão testar a possível correlação entre a produção de orexina pelo hipotálamo lateral e a expressão de genes que controlam a produção e liberação de dopamina na área ventral tegumental, visto que alguns dados piloto mostram uma possível relação entre um aumento na expressão de orexina no hipotálamo lateral e o aumento de tirosina hidroxilase na área ventral tegumental. Esses dados são reforçados por achados já descritos na literatura. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.