Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito pró-apoptótico no tecido prostático em distintas formas de tratamento para a hiperplasia prostática benigna em cães

Processo: 16/10623-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Camila Infantosi Vannucchi
Beneficiário:Caroline Bezerra Lima
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cães   Finasterida   Imuno-histoquímica   Hiperplasia prostática

Resumo

A hiperplasia prostática benigna (HPB) tem alta incidência, tanto nos cães quanto nos homens. Contudo, a fisiologia hormonal envolvida na etiopatogenia da HPB ainda permanece com diversas lacunas a serem elucidadas. Ademais, a terapia conservativa com o uso de Finasterida para o tratamento da HPB, tanto em homens quanto em cães, ainda não está totalmente estabelecida devido os possíveis efeitos colaterais, ocasionando controvérsia em seu uso em escala clínica reprodutiva. Entretanto, sabe-se que a utilização de Finasterida promove redução no volume prostático, e assim, na sintomatologia do indivíduo acometido. Tais efeitos ocorrem por diminuição nos níveis de di-hidrotestosterona e, consequentemente, na ativação da cascata de apoptose, que é a forma de morte celular do organismo, e de suma importância para homeostase dos mais variados sistemas. Em face do exposto, o objetivo desse trabalho é promover a caracterização das alterações decorrentes da hiperplasia prostática benigna em cães submetidos ao tratamento com Finasterida, utilizando de recursos como, a técnica de imunohistoquímica para avaliar a expressão de fatores de apoptose (Caspase3) e avaliações dos níveis hormonais, mensurando os principais hormônios envolvidos (testosterona e di-hidrotestosterona). Desta forma, este trabalho espera contribuir para maiores elucidações quanto às alterações que ocorrem com o tratamento de escolha da hiperplasia prostática benigna em homens e cães. (AU)