Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação de complexos entre proteínas a partir de dados experimentais esparsos

Processo: 16/20366-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 15 de fevereiro de 2017
Vigência (Término): 14 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Glaucius Oliva
Beneficiário:Samuel Reghim Silva
Supervisor no Exterior: Michele Vendruscolo
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Cambridge, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:13/20929-4 - Determinação de complexos entre proteínas a partir de dados experimentais esparsos, BP.DR
Assunto(s):Ressonância magnética nuclear

Resumo

A compreensão e a predição da formação de complexos moleculares entre proteínas são fundamentais para os modernos esforços de biomedicina e biotecnologia, com a plasticidade proteica se destacando como um dos principais desafios de tais predições. Avanços recentes no uso de dados de Ressonância Magnética Nuclear (RMN) como restrições em simulações de dinâmica molecular (RMN-DM) permitem obter ensembles conformacionais de proteínas compatíveis com dados experimentais. Neste projeto tem sido desenvolvidas novas abordagens computacionais para a determinação da estrutura de complexos entre proteínas usando informação experimental esparsa. Este sistema estende a abordagem baseada em Chemical Shifts do código precedente CamDock. Identificou-se chemical shifts de espectroscopia de RMN, EPR Double Electron-Electron Resonance e microscopia crio-eletrônica como os tipos mais promissores de experimentos e de dados experimentais para este propósito, uma vez que os dados são diretamente mensuráveis, ao menos em relação a outros observáveis, e comparativamente ricos em informações estruturais. Planeja-se fornecer uma nova ferramenta para a comunidade de biologia estrutural para determinar as estruturas de grandes complexos proteicos, que são as unidades funcionais básicas de uma célula, ao invés das estruturas de proteínas individuais ou de pequenos complexos, que atualmente representam a vasta maioria das estruturas no banco de dados de proteínas PDB.