Busca avançada
Ano de início
Entree

Estruturação de um banco de dados metabólicos para Casearia sylvestris usando LC-DAD-CAD-MS

Processo: 16/24714-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Alberto José Cavalheiro
Beneficiário:Amanda Sartori Pavão
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07600-3 - CIBFar - Centro de Inovação em Biodiversidade e Fármacos, AP.CEPID
Assunto(s):Casearia sylvestris   Cromatografia líquida   Produtos naturais   Banco de dados   Plantas medicinais   Fitoquímica

Resumo

Casearia sylvestris é uma espécie vegetal de grande interesse econômico e farmacológico por possuir comprovadas as atividades antiulcerogênica, anti-inflamatória, antiofídica, citotóxica em células tumorais, dentre outras. Para esta espécie podem ser encontradas duas variedades: C. sylvestris var. sylvestris e C. sylvestris var. lingua. Tais variedades, além de possuírem características morfológicas distintas, se diferenciam principalmente na predominância de diterpenos clerodânicos na primeira, e compostos fenólicos na segunda, além de outros compostos ainda não identificados. Adicionalmente, há diferenças importantes no perfil metabólico em função do bioma em que a planta é encontrada. Estes fatos justificam a caracterização detalhada da espécie para facilitar estudos subsequentes de ecofisiologia de produtos naturais e desenvolvimento de fitoterápicos. Por isso este projeto de IC tem como objetivo estruturar um banco de dados de metabólitos de C. sylvestris contendo dados de tempo de retenção em UHPL-C18 e em GC, espectros no UV/Vis e MS, e aplicar o banco na caracterização química comparativa dos vários órgãos (raiz, casca do tronco, tronco, folhas, flores e frutos) nas duas variedades (lingua e sylvestris). Como resultado espera-se, portanto, elaborar um banco de dados bastante abrangente acerca das substâncias químicas presentes nas duas variedades de C. sylvestris, assim como a distribuição dessas substâncias nos diferentes órgãos das duas variedades da planta e mesmo a identificação de substâncias ainda não descritas para a espécie. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.