Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelagem numérica geodinâmica do sistema de rifte do Atlântico Sul: implicações para a evolução neoproterozóica do Orógeno Araçuaí e dos crátons São Francisco e Congo

Processo: 17/10467-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 06 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Victor Sacek
Beneficiário:Claudio Alejandro Salazar Mora
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/06114-6 - O Sistema Terra e a evolução da vida durante o Neoproterozoico, AP.TEM
Assunto(s):Geodinâmica   Modelos matemáticos

Resumo

A observação direta dos processos geodinâmicos é naturalmente limitada já que tais processos são muito lentos e profundos no Planeta Terra. Nas últimas décadas, modelos numéricos têm sido amplamente utilizados na comunidade geocientífica mundial para testar e gerar novas hipóteses sobre a evolução geodinâmica da crosta e manto terrestres, permitindo simular o comportamento deformacional das rochas ao longo da escala de tempo geológica. Este projeto visa, principalmente, utilizar modelos numéricos para testar cenários geodinâmicos do processo de rifteamento do Atlântico Sul entre a placa sul-americana e africana durante o Cretáceo, que indicam que o rifteamento continental seguiu preferencialmente a litosfera orogênica dos orógenos Brasilianos-Pan Africanos Neoproterozoicos. Nossos modelos computacionais 2-D e 3-D irão testar variações reológicas entre litosferas orogênicas e cratônicas e o papel de grandes zonas de cisalhamento litosféricas durante o processo de rifteamento continental. O exemplo geodinâmico natural a ser testado é a margem continental conjugada da porção central do Atlântico Sul, a qual tem uma importante história termo-mecânica herdada do Orógeno Araçuaí-West Congo, circundado pela litosfera cratônica dos crátons do São Francisco e Congo durante o Neoproterozoico. Os resultados obtidos com essa pesquisa serão de grande importância para o entendimento do comportamento da litosfera continental sob extensão durante a geração de bacias sedimentares de margem continental. Além disso, trará implicações para a configuração da litosfera continental durante o Neoproterozoico e, consequentemente, para os modelos paleogeográficos do Supercontinente Gondwana.