Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação entre força de preensão palmar com músculos do tronco e do membro inferior

Processo: 17/09503-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Daniela Cristina Carvalho de Abreu
Beneficiário:Ana Paula Midori Nakaishi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Sarcopenia   Fisioterapia   Acidentes por quedas   Força de preensão palmar   Torque

Resumo

Com o envelhecimento, ocorre um declínio de força muscular. Alterações nesse sistema podem ser classificadas como sarcopenia, que consiste na perda progressiva e generalizada de massa muscular esquelética, e como dinapenia, que se refere à perda de força muscular com o envelhecimento. Esse declínio de força muscular tem grande impacto na vida dos idosos. Um instrumento de baixo custo e aplicação rápida e fácil, utilizado para avaliar a força muscular global é o dinamômetro manual, reconhecido na prática clínica e na literatura como um instrumento padrão para realizar medições de força de preensão palmar (FPP), apresentando bons índices de validade e de confiabilidade. A FPP é uma medida utilizada na população idosa, inclusive para identificação de idosos com importantes condições de saúde que demandam cuidados. No entanto, resultados conflitantes são encontrados na literatura com relação a FPP e a força muscular global. Assim, este estudo tem por objetivo correlacionar a força de pressão palmar com o pico de torque isométrico dos músculos do tronco, quadril, joelho e tornozelo, em idosos. Serão dois dias de coleta de dados, com idosos independentes da comunidade, de ambos os sexos e com idade igual ou superior a 60 anos. No primeiro dia haverá coleta de dados antropométricos e será realizado a familiarização do participante no dinamômetro isocinético e obtenção da força de preensão palmar por meio do dinamômetro manual. Para obtenção da FPP serão realizadas três contrações isométricas no membro dominante, com intervalo de 60 segundos entre cada contração. No segundo dia de avaliação, será realizado o teste no dinamômetro isocinético, para obtenção do pico de torque isométrico dos músculos do tronco, quadril, joelho e tornozelo. O protocolo para os testes de função muscular do tronco e membros inferiores consistirá em três contrações isométricas voluntárias máximas do membro dominante, mantidas por 5 segundos e com intervalo de repouso de 30 segundos entre elas. (AU)