Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação da percepção da fadiga com a performance em um teste de resistência muscular

Processo: 17/18121-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Carlos Marcelo Pastre
Beneficiário:Larissa Rodrigues Souto
Supervisor no Exterior: Lars Louis Andersen
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Local de pesquisa : National Research Centre for the Working Environment (NRCWE), Dinamarca  
Vinculado à bolsa:16/11785-7 - Confiabilidade e análise fisiológica de teste de resistência muscular isométrica localizada à fadiga no dinamômetro isocinético, BP.MS
Assunto(s):Fadiga   Dinamômetro de força muscular   Resistência física   Confiabilidade dos dados   Fisioterapia

Resumo

INTRODUÇÃO: A prescrição adequada de exercícios depende de testes físicos diagnósticos, entretanto, diferentes percepções sobre os níveis de estresse mental e físico podem exercer efeitos sobre a realização destes testes. Desta forma, entende-se pertinente associar os níveis de estresse com os resultados de um teste para melhor interpretação dos resultados. OBJETIVO: Avaliar e correlacionar a percepção de fadiga, avaliada por meio de questionários e escalas específicas, com os resultados de um teste de resistência isométrica (TRI) realizada no dinamômetro isocinético. MÉTODOS: O estudo será composto por uma amostra de 48 participantes, constituído por três sessões, sendo a primeira intitulada "Familiarização" e as demais "Teste". Na sessão de familiarização serão aplicadas a Escala de Percepção de Estresse, Questionário do Índice de Capacidade para o Trabalho e a Escala de Insônia de Bergen. E, inicialmente, nas sessões de teste serão aplicados o Questionário Psicológico e a Escala de Necessidade de Recuperação e, logo após a execução do TRI serão aplicadas a Escala de Borg CR10 e a Escala de Borg. A análise da associação dos níveis de estresse e performance dos participantes será feita em quatro tempos, aproveitando um cenário de teste de correlação intra e inter avaliadores. Desta forma, os escores captados em cada cenário serão associados às performances de cada um dos quatro momentos de testes físicos por meio do coeficiente de correlação de Pearson. Todas as análises terão 95% do intervalo de confiança.