Busca avançada
Ano de início
Entree

Membrana de celulose com propriedades funcionais

Processo: 17/21005-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 06 de novembro de 2017
Vigência (Término): 05 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Sidney José Lima Ribeiro
Beneficiário:Andreia Sofia de Sousa Monteiro
Supervisor no Exterior: Michel Wong Chi Man
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : Institut Charles Gerhardt Montpellier (ICGM), França  
Vinculado à bolsa:15/12908-2 - Desenvolvimento de nanopartículas de sílica coloridas de base naturais, e sua aplicação em substratos têxteis, BP.DR
Assunto(s):Propriedades funcionais   Celulose

Resumo

A celulose é o polímero natural mais comum em todo o mundo. A celulose bacteriana (CB) é secretada por algumas bactérias e consiste numa rede de nanofibras de celulose com características únicas. Devido às suas excelentes propriedades físicas e mecânicas, incluíndo sua insolubilidade, rápida biodegradabilidade, resistência à tração, elasticidade, durabilidade, alta capacidade de absorção de água, boa aderência e nao toxicidade, tornam o CB ideal para o design de vários produtos funcionais com elevado valor acrescentado, estendendo, portanto, a sua utilização para uma ampla gama de aplicações altamente sofisticadas, incluindo efeitos antibacterianos, propriedades ópticas, elétricas e magnéticas e atividade catalítica e biomédica; como sensores, nanomateriais fotocatalíticos, materiais e dispositivos eletrônicos e membranas magneticamente sensíveis.Neste contexto, o objetivo deste projeto consiste na produção de membranas de celulose bacteriana (MCB) de elevado desempenho com propriedades funcionais, nomeadamente, easy-cleaning, photocatalytic/self-cleaning, antimicrobial and luminescent properties and Natural-based colored cellulose membrane. O MCB será preparado e funcionalizado com grupos orgânicos ligados covalentemente contendo várias propriedades e isso será realizado seguindo duas metodologias diferentes: in situ e post-grafting.