Busca avançada
Ano de início
Entree

Datação de conchas e sedimentos do Pântano da Malhada: correlação com a variação do nível do oceano no Holoceno

Processo: 17/17116-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2018
Vigência (Término): 29 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Shigueo Watanabe
Beneficiário:Monise Brito Gomes
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/03085-0 - Geocronologia do quaternário da costa Sudeste e Sul do Brasil, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/19950-2 - Datação de conchas aragonita pelo método EPR, na região de Búzios, Rio de Janeiro, Brasil, BE.EP.MS
Assunto(s):Datação   Planícies   Sedimentos   Termoluminescência   Ressonância paramagnética eletrônica

Resumo

A formação da planicie costeira do mar brasileiro deve-se principalmente á flutuação do nível relativo do mar no passado. Os geólogos afirmam que antes dos últimos 125.000 anos o nível do mar atingiu cerca de 8 ± 2 m acima do presente. As evidências sedimentológicas e biológicas foram utilizadas para compreender os efeitos da flutuação do nível do mar passado. No entanto após 1974 vários geólogos estudaram a flutuação do nível do mar tendo Louis Martin & Suguio apresentado estudos com grande destaque principalmente do período Quaternário usando o método radiocarbono que é absoluto em muitos trabalhos. A Armação dos Búzios é um município da Microrregião dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro. O oeste dela se estende a região de terras baixas, 2 metros acima do atual nível marítimo. A teoria de Martin & Suguio diz que no período Holocênico em torno de 5700 e 3700 A.P, o nível do mar oscilou entre 2,5 metros acima do atual, o que deixou a região submersa ao mar e nesse período houve uma proliferação de moluscos bivalves que no decorrer do tempo deixou na região chamado Planície Costeira do Rio Una bilhões de conchas de moluscos. Castro et al. (2014), datou estas conchas e outros elementos que mostraram que o nível do mar por volta de 11500 A.P transgrediu atingindo cerca de 2,5 metros acima do atual e por volta de 3700 A.P o mar regrediu até o nível atual. Faz parte da planície do rio Una, uma região chamada de Pântano da Malhada, e no presente projeto sedimentos e conchas dessa região serão coletados e datados utilizando as técnicas de Termoluminescência (TL), Luminescência Opticamente Estimulada (LOE) e Ressonância Paramagnética Eletrônica (EPR) e serão correlacionados aos últimos 6000 anos atrás até o presente. (AU)