Busca avançada
Ano de início
Entree

Ácidos húmicos e fúlvicos extraídos de carvão hidrotérmico e de solos antropogênicos: estudo da capacidade de complexação e caracterização utilizando técnicas de fluorescência molecular

Processo: 18/09914-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Márcia Cristina Bisinoti
Beneficiário:João Vitor dos Santos
Supervisor no Exterior: Jean Louis Stephane Mounier
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université de Toulon (UTLN), França  
Vinculado à bolsa:17/05408-9 - Caracterização das substâncias húmicas extraídas de hidrochar e solos terra mulata da região amazônica, BP.IC
Assunto(s):Substâncias húmicas   Química ambiental   Caracterização

Resumo

Carvões Hidrotérmicos têm sido produzidos com subprodutos da indústria sucroenergética, sendo o teor de nutrientes e carbono dependentes das condições de reação (tempo, temperatura e aditivos). A presença de substâncias 'tipo' húmicas poderiam fornecer propriedades como as encontradas em solos Terra Mulata, conhecidos pela elevada fertilidade. O grupo de pesquisa MIO (Mediterranean Institut of Oceanography) na Universidade de Toulon- França, é reconhecido internacionalmente pela caracterização de ácidos húmicos e fúlvicos por fluorescência molecular e tratamento dos dados com o emprego de CP/PARAFAC, bem como da capacidade de complexação empregando quenching de fluorescência e fluorescência resolvida no tempo. O grupo também faz uso da técnica de Ressonância Magnética Núclear (RMN) para obter informações sobre as características conformacionais dos núcleos de carbono presentes na amostra. Desta forma, considerando o trabalho já iniciado no Brasil, este projeto tem como objetivo a caracterização estrutural de ácidos húmicos e fúlvicos extraídos de solos Terra Mulata e de carvões hidrotérmicos produzidos em diferentes condições, bem como determinar a capacidade de complexação com cobre e se for possível interação com HPA. A realização destes experimentos sob a supervisão do professor Dr. Stéphane Mounier, especialista nas técnicas propostas, facilitarão a compreensão e interpretação dos resultados, possibilitando uma comparação entre os materiais com a finalidade de aplicação do hydrochar como condicionante de solo. A realização deste estágio será uma oportunidade única de gerar dados inéditos que possibilitarão a melhor compreensão das propriedades do material que está sendo produzido em comparação com os solos Terra Mulata, fornecendo informações importantes também sobre qual o papel das condições do processo de carbonização nas características húmicas do material.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DOS SANTOS, JOAO VITOR; FREGOLENTE, LAIS GOMES; MOUNIER, STEPHANE; HAJJOUL, HOUSSAM; FERREIRA, ODAIR PASTOR; MOREIRA, ALTAIR BENEDITO; BISINOTI, MARCIA CRISTINA. Fulvic acids from Amazonian anthropogenic soils: Insight into the molecular composition and copper binding properties using fluorescence techniques. ECOTOXICOLOGY AND ENVIRONMENTAL SAFETY, v. 205, DEC 1 2020. Citações Web of Science: 0.
DOS SANTOS, JOAO VITOR; FREGOLENTE, LAIS GOMES; MOREIRA, ALTAIR BENEDITO; FERREIRA, ODAIR PASTOR; MOUNIER, STEPHANE; VIGUIER, BRUNO; HAJJOUL, HOUSSAM; BISINOTI, MARCIA CRISTINA. Humic-like acids from hydrochars: Study of the metal complexation properties compared with humic acids from anthropogenic soils using PARAFAC and time-resolved fluorescence. Science of The Total Environment, v. 722, JUN 20 2020. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.