Busca avançada
Ano de início
Entree

Emissão de gases de efeito estufa associada a microbiologia do solo em áreas sob manejo da cana energia

Processo: 18/04992-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:João Luís Nunes Carvalho
Beneficiário:Mara Regina Moitinho
Instituição-sede: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/21817-1 - Microbiota associada a Emissão de N2O em solo sob plantio de cana energia, BE.EP.PD
Assunto(s):Dióxido de carbono

Resumo

A agricultura é uma grande fonte emissora de gases para atmosfera contribuindo significativamente para o aumento do efeito estufa. A demanda acelerada do setor sucroenergético tem impulsionado o desenvolvimento de medidas que visam diminuir o impacto das atividades agrícolas no ambiente, sem contudo, diminuir a produtividade dos canaviais. Nesse contexto, a cana energia vem revolucionando o setor com a proposta de um material que apresenta maior teor de fibras e elevada quantidade de biomassa para a produção de etanol de 2ª geração (2G), apresentando um grande potencial para reduzir os custos de produção do etanol e os impactos adversos das mudanças climáticas. Assumindo que o rizoma e a alta produção de biomassa sejam os maiores diferenciais dessa cultura, objetiva-se com o presente projeto avaliar a emissão dos gases CO2, N2O e CH4 associada aos atributos químicos e microbiológicos do solo na região das raízes e fora da influência das raízes em áreas submetidas a diferentes doses de fertilizante nitrogenado e ao manejo da palha da cana energia. Para o estudo será avaliado o experimento com a cana energia localizado no município de Quatá-SP, constituído pelos seguintes tratamentos: i) controle sem adubação nitrogenada na cana energia; ii) controle sem adubação nitrogenada na cana-de-açúcar; iii) 60 kg ha-1 N (cana energia); iv) 120 kg ha-1 N (cana energia); v) 180 kg ha-1 N (cana energia); vi) 120 kg ha-1 N + 10 t ha-1 de massa seca de palha (cana energia). Esse último tratamento visa representar a manutenção da palha na superfície do solo, prática que ainda não é uma realidade no cultivo da cana energia, uma vez que toda a biomassa aérea é colhida. Serão determinadas a emissão dos gases CO2, N2O e CH4 (utilização de câmaras fixas), a temperatura e a umidade do solo, assim como os atributos químicos e microbiológicos do solo. As coletas de gases e as amostras de solo para determinação dos atributos ocorrerão na região rizosférica (região das raízes) e não rizosférica (fora da influência das raízes). A variabilidade dos dados será analisada, por meio de estatística descritiva, análise da variância e regressão. A análise da variância será realizada em blocos casualizados e as observações serão repetidas ao longo do tempo. O comportamento das variáveis em função do local amostrado será avaliado por meio das análises exploratórias multivariadas de agrupamento por método hierárquico e componentes principais. O desafio científico deste projeto será obter indicadores, principalmente microbiológicos, em função da resposta da cana energia às doses de fertilizante nitrogenado e à presença de palha na superfície do solo, bem como da adoção de práticas agrícolas mais eficientes para a mitigação da emissão de gases de efeito estufa de origem antropogênica, visando atenuar a contribuição da agricultura para o aquecimento global.