Busca avançada
Ano de início
Entree

Comunidades de peixes da zona de surfe de praias arenosas: investigando os mitos, explorando diferentes metodologias e fornecendo conhecimento para estratégias de manejo

Processo: 18/05099-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Antonia Cecília Zacagnini Amaral
Beneficiário:Yasmina Michel Liliane Shah Esmaeili
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/03804-9 - Governança ambiental da macrometrópole paulista face à variabilidade climática, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Ecologia   Esportes aquáticos   Peixes   Conservação dos recursos naturais   Praias   Solo arenoso

Resumo

As praias arenosas dominam as regiões litorâneas do mundo e fornecem bens e serviços ecossistêmicos fundamentais. Entretanto, estão entre os ecossistemas costeiros mais ameaçados e menos estudados. As zonas de surfe das praias arenosas são utilizadas por espécies de peixes e invertebrados com grande importância ecológica e econômica, porém, poucos estudos investigaram esse ambiente. Além do reduzido número de estudos nessa zona, há também limitação na abrangência geográfica e metodológica desses estudos: a grande maioria está concentrada em poucas regiões geográficas, aborda tópicos restritos, e utilizou quase que exclusivamente uma única metodologia. Como consequência, os paradigmas atuais sobre funcionamento da zona de surfe estão sendo questionados e há uma necessidade crescente de se explorar fatores que possam explicar a variabilidade temporal e espacial nas comunidades. Nesse contexto, esse projeto tem cinco objetivos principais: (1) em primeiro lugar, esperamos encontrar o melhor método de amostragem para a zona de surfe comparando duas técnicas: a tradicional rede de arrasto e o uso de câmeras. Pretendemos também (2) identificar as comunidades de peixes da zona de surfe em praias com diferentes características ecológicas e sociais. Além disso, (3) avaliaremos quais fatores geram diferenças na composição e estrutura das comunidades de peixes dessa zona investigando o papel de variáveis ambientais (e.g., exposição às ondas e tipo morfodinâmico) e pressões antropogênicas (urbanização e pesca). Por fim, (4) analisaremos a conectividade entre praias e o mar aberto e as (5) interações tróficas nas zonas de surfe. A partir dos resultados obtidos, esperamos fornecer informações importantes para o desenvolvimento de planos de gerenciamento costeiro que possam contribuir para a preservação dos nossos recursos naturais. (AU)