Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelagem da movimentação e chuva de sementes do mico-leão-preto (Leontopithecus chrysopygus)

Processo: 18/15625-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Laurence Marianne Vincianne Culot
Beneficiário:Mayara Mulato dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/14739-0 - O efeito da fragmentação sobre as funções ecológicas dos primatas, AP.JP
Assunto(s):Dispersão de sementes   Germinação de sementes   Primatas   Mico-leão   Leontopithecus chrysopygus

Resumo

A dispersão de sementes é um processo fundamental para a manutenção e persistência de comunidades vegetais, bem como das áreas florestais que estas compõem. Entre os animais dispersores os primatas são muito reconhecidos por sua importância e eficiência de dispersão, principalmente pela grande variedade de dieta, hábitat e tamanho que apresentam. Por ser um resultado acidental da atividade alimentar dos agentes dispersores, a distribuição das sementes pela área de vida ocorre de maneira irregular e varia de acordo com as atividades diárias dos indivíduos, incluindo as distâncias percorridas ao longo do dia e o tempo de trânsito das sementes no trato digestório. Assim sendo, neste estudo focaremos no mico-leão-preto (Leontopithecus chrysopygus, Callitrichidae) como modelo dispersor, um pequeno primata neotropical endêmico do estado de São Paulo. São encontrados em florestas estacionais semi-decíduas e matas ciliares e estão fortemente ameaçados pela progressiva perda de hábitat e fragmentação de suas áreas. Desta forma, temos por objetivo desenvolver um modelo de simulação espacialmente explícito baseado em indivíduos (Spatially Explicit Individual-based model - SEIB) que leva em conta os efeitos de borda e distribuição dos recursos no padrão de movimentos, e consequentemente nos atributos funcionais da dispersão de sementes - sendo eles distância de dispersão e distribuição espacial das sementes dispersadas. Para isto, acompanharemos um grupo de micos em um fragmento de Guareí (SP) para coletar os dados básicos necessários à construção do modelo (orçamento de atividade, eventos de alimentação e defecação e deslocamento). Baseados nesses dados, desenvolveremos o modelo de simulação SEIB com processo de decisão interna. Posteriormente, empregaremos os dados registrados em campo no processo de validação de nosso modelo. Trabalharemos em colaboração com os autores de um modelo semelhante, os professores Ronald Bialozyt (Nordwestdeutsche Forstliche Versuchsanstalt) e Eckhard Heymann (Deutsches Primatenzentrum) de Göttingen, na Alemanha.