Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa da subcompartimentalização dos neurônios motores no núcleo do nervo hipoglosso de camundongos e humanos

Processo: 18/08758-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Luiz Ubirajara Sennes
Beneficiário:Carla Freire de Castro Lima
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Otorrinolaringologia   Apneia obstrutiva do sono   Língua (anatomia)   Nervo hipoglosso   Leptina   Modelos animais

Resumo

A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é doença prevalente com alta morbidade de mortalidade em ocidentais. A inibição dos neurônios motores durante o sono leva ao colapso faríngeo. A língua foi identificada como um componente fundamental na fisiopatologia da SAOS. O tratamento padrão ouro é o aparelho de pressão positiva nas vias aéreas (CPAP) porém ele apresenta baixa adesão. Não existe farmacoterapia efetiva e a falta de conhecimento da função molecular dos neurônios responsáveis pela patência da faringe é um obstáculo para o desenvolvimento de novos tratamentos. Objetivos: Nossos objetivos são identificação de subpopulações especificas de motoneurônios da língua em camundongos, caracterização morfométrica do núcleo do nervo hipoglosso de camundongos e de humanos e comparação entre achados em camundongos e humanos. Identificação de vias de sinalização de leptina no tronco cerebral em humanos. Materiais e métodos: Injeção de subunidade B da toxina colérica conjugada a fluoresceina (CTB-AF) permitirá análise morfológica de motoneurônios no núcleo do nervo hipoglosso. Análise de cortes histológicos de tronco encefálico de camundongos e humanos corados com hematoxilina e eosina e coloração de Nissl permitirão caracterização morfométrica e posterior comparação dosachados em camundongos e humanos. Realização de imunofluorencência para leptina em cortes de tronco encefálico de humanos. Conclusão: Portanto, a presente proposta fornecerá subsídios para o conhecimento da fisiopatologia e tratamento clínico efetivo da SAOS. Além de contribuir para a translação de tecnologias entre camundongos e humanos. Nossos resultados preliminares indicam a viabilidade do projeto, com o sucesso no rastreamento neuronal retrógrado. A colaboração entre pesquisadores da Universidade Johns Hopkins e da Universidade de São Paulo é bem-sucedida e produtiva, já tendo proporcionado publicações em revistas especializadas e prêmios por mérito científico. Nossa proposta colaborativa contribuirá para a pesquisa de ponta e o desenvolvimento da Ciência no Brasil. (AU)