Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização fenotipica de ritmos circadianos e índice de massa corporal (IMC) em indivíduos com diferentes genótipos para polimorfismos nos genes relógio: comparação entre estudantes universitários do período diurno e noturno

Processo: 19/06294-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Mario Pedrazzoli Neto
Beneficiário:Juliana Viana Mendes
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50457-0 - Melatonina e a regulação do metabolismo energético: estudos básicos, clínicos e epidemiológicos, AP.TEM
Assunto(s):Melatonina   Ritmos biológicos   Cronobiologia   Sono

Resumo

Diferenças individuais na duração do sono, nos horários de dormir e acordar e na preferência por determinados horários para o desempenho de atividades diárias estão associadas ao chamado cronotipo, uma propriedade do sistema de temporização circadiano. Os estudos sobre os cronotipos trazem à tona o problema da adaptação dos indivíduos à organização temporal da sociedade e, por conseguinte, suas implicações para a saúde e a produtividade humana. O sistema molecular de temporização circadiana envolve genes relógio, como por exemplo o gene PER3. Estes genes estão associados com a regulação de processos fisiológicos sincronizados com pistas temporais ambientais, como a adaptação ao ciclo claro/escuro ambiental, o ciclo sono/vigília e o balanço energético metabólico. Estudos recentes mostram a associação entre variações nos genes relógio e também nos genes da via de síntese da melatonina, os genes HIOMT e AANAT, com a regulação do sono. A possibildade de desregulação do sono e da diminuição da secreção de melatonina, gerada pela interação de fatores sociais com fatores ambientais e genéticos, está ligada ao aumento do risco de obesidade e diabetes tipo 2. O trabalho e estudo noturno são possíveis contextos sociais com potencial desregulador do sono. No presente projeto investigaremos, usando alunos do turno noturno como sujeitos experimentais, possíveis associações entre cronotipo, polimorfismos nos genes relógio e as consequências para o metabolismo energético de frequentar aulas no início da noite.