Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da exposição a odorantes no processamento de emoções básicas e complexas

Processo: 19/15720-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Convênio/Acordo: Natura
Pesquisador responsável:Mirella Gualtieri
Beneficiário:Matheus Henrique Ferreira
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50282-5 - Positive psychology and neuroscience: translational research to promote well-being and emotional regulation, AP.PCPE
Assunto(s):Olfato   Percepção   Emoções

Resumo

A relação entre odores e emoções pode ser ilustrada tanto a nível fisiológico quanto psicológico. Em relação à neuroanatomia, o sistema olfatório é diferente das demais modalidades sensoriais . Além de não apresentar mediação talâmica antes de chegar ao córtex cerebral, o processamento do sinal no sistema sensorial olfativo atinge estruturas encefálicas que estão envolvidas no processamento de respostas emocionais. Assim, pode-se entender que a neuroanatomia do sistema sensorial olfativo é entrelaçada com o sistema límbico. Além do aspecto fisiológico, esta relação entre o olfato e as emoções pode ser demonstrada também no comportamento. Odorantes podem alterar a avaliação hedônica de imagens e interferir em outros processos emocionais, como a identificação de expressões faciais. Tal interferência possivelmente acontece devido a alterações no estado emocional eliciados pelos odores. Estudos indicam que os estados de humor negativo e positivo dificultam a identificação de expressões faciais incongruentes (felicidade e tristeza, respectivamente), o que corrobora com a hipótese de congruência emocional. Estudos com eyetracker indicam que os estados emocionais também podem afetar o padrão do olhar, O presente estudo tem como objetivo investigar se a influência dos odorantes na identificação de expressões faciais decorre de alterações na exploração visual do estímulo (face). Nossa hipótese é de que os odorantes possivelmente alteram a identificação de expressões faciais, em certo nível, devido à modulação do padrão do olhar. Possivelmente a estimulação olfativa aumente, ou diminua, o tempo de fixação do olhar para certas propriedades da face que são relevantes para a interpretação de determinada expressão facial. Se os estímulos olfativos agradáveis aumentam o processamento global da expressão facial isto pode impedir que pequenas diferenças na face sejam percebidas e possivelmente aumenta a sensibilidade do indivíduo a emoções que utilizem os maiores músculos da face, como a felicidade (zigomático maior). Além das emoções básicas, como felicidade ou tristeza, alguns estudos experimentais investigaram o processo de interpretação de emoções complexas. Os experimentos realizados indicam que os estímulos olfatórios podem influenciar processos que envolvem interpretação de emoções básicas, como identificar expressões faciais ou atribuir valência hedônica a imagens. Nossa segunda hipótese é que este efeito possa se estender para situações que envolvam emoções complexas. A teoria dos fundamentos morais atualmente postula seis fundamentos principais. Estes fundamentos se referem a descaso com o sofrimento dos outros (cuidado/dano), sentimento de justiça (trapaça), lealdade ao grupo (lealdade/traição), deferência a figuras de autoridade e tradições (autoridade/subversão), preocupação com a pureza e contaminação (santidade/degradação) e preocupação com a dominação e coerção (liberdade/opressão). Cada um destes fundamentos representa um conjunto de intuições que evoluíram para solucionar certos dilemas sociais. O segundo objetivo deste estudo é investigar se a estimulação olfativa altera a percepção de emoções complexas, de acordo com sua valência hedônica subjetiva, de forma que possa influenciar o julgamento moral.