Busca avançada
Ano de início
Entree

Scaffolds à base de cimento de aluminato de cálcio, incorporados com células mesenquimais, para regeneração óssea

Processo: 19/20095-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luana Marotta Reis de Vasconcellos
Beneficiário:Letícia Adrielly Dias da Cruz
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Farmacologia   Regeneração óssea   Cimentos de resina   Aluminato de cálcio   Células-tronco mesenquimais   Tecidos suporte   Defeitos ósseos   Ratos Wistar   In vivo   Histomorfometria óssea

Resumo

O cimento de aluminato de cálcio (CAC) como biomaterial tem sido avaliado em relação as suas propriedades físicas, mecânicas e de biocompatibilidade, sendo que suas características únicas de endurecimento e microestrutura o tornam um biomaterial de destaque. Estudos relataram aplicação destes cimentos na ortopedia visando neoformação óssea devido a sua composição e coeficiente de expansão térmica semelhante ao osso humano. O objetivo deste trabalho será avaliar o potencial de regeneração óssea de scaffolds de cimento de aluminato de cálcio e suas blendas incorporados ou não incorporados com células mesenquimais em defeitos ósseos realizados em fêmures de ratos. Neste estudo in vivo, serão utilizados 26 ratos Wistar, os quais serão submetidos a confecção de defeitos ósseos de 4,0mm, em ambos os fêmures, que serão preenchidos com scaffolds. Inicialmente serão produzidos 48 scaffolds à base de CAC e suas blendas (zircônia, óxido de zinco e fosfato tricálcico), pela técnica da réplica da esponja polimérica. Posteriormente, metade destes scaffolds serão incorporados com células mesenquimais, obtidas de fêmures de ratos, por um período de 48 horas. Os animais serão divididos aleatoriamente em 5 grupos de acordo com o material de preenchimento do defeito ósseo. Em 4 grupos (n=4), os animais receberão scaffolds à base de CAC não incorporados com células mesenquimais nos defeitos do lado direito e scaffolds dos mesmos materiais incorporado com células mesenquimais nos defeitos do lado esquerdo. Em um grupo (n=3), os defeitos ósseos em ambos os fêmures serão preenchidos com coágulo. Todos os animais serão eutanasiados após 4 semanas do procedimento cirúrgico. Serão realizadas análises histológica e histomorfométrica. Os dados serão estatisticamente analisados, inicialmente por meio do teste de normalidade visando à aplicação do teste estatístico adequado. O nível de significância adotado será o valor convencional de 5%.