Busca avançada
Ano de início
Entree

Envolvimento de neuronal ensembles do córtex pré-frontal medial e suas redes perineurais na incubação da fissura a cocaína

Processo: 20/01343-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Fabio Cardoso Cruz
Beneficiário:Giovanna Victória Lopes Costa
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/15505-4 - Estudo neurobiológico da recaída ao uso de cocaína e crack: identificação de plasticidades em neuronal ensembles que armazenam memórias relacionadas com a adição de drogas, AP.JP2
Assunto(s):Autoadministração   Transtornos relacionados ao uso de cocaína   Sistema nervoso central   Córtex pré-frontal   Neurônios   Incubação   Cocaína   beta-Galactosidase   Farmacogenética

Resumo

Estudos correlacionais sugerem que o aprendizado associativo é codificado por um pequeno grupo de neurônios, dispersamente distribuídos pelo encéfalo (neuronal ensembles), que seriam seletivamente ativados durante os comportamentos aprendidos. Até pouco tempo atrás, era difícil demonstrar que esses conjuntos neuronais mediavam os comportamentos aprendidos, pois tanto os métodos tradicionais, por exemplo os farmacológicos e de lesão, como os novos métodos, de optogenética e quimio-genéticos, alteram a atividade dos neurônios de uma região, independentemente deles terem sido seletivamente ativados ou não, durante esses comportamentos. Além disso, estudos anteriores que investigaram alterações sinápticas e moleculares induzidas pelos aprendizados associativos, não distinguiam as populações de neurônios ativados e não ativados durante os comportamentos de apendizado. Baseado nessas observações, combinaremos metodologias inovadoras (animais transgênicos - c-Fos::teop-Cre/ LacZ, vetores virais, optogenética e sobreposição neuronal) para avaliar diferentes aspectos da função dos neuronal ensembles na amígdala basolateral envolvidos na reinstalação da busca de etanol induzida pelo contexto. O entendimento da função dos neuronal ensembles no comportamento, bem como a maneira como as susbatâncias de abuso alteram esses grupamentos neurais, ajudará a compreender como essas substâncias promovem comportamentos de aprendizado associativo envolvidos no desenvolvimento da dependência. Assim, investigaremos as diferentes populações neuronais associadas ao contexto de treino da autoadministração de etanol, bem como ao contexto de extinção desse comportamento. Para isso, utilizaremos a proteína beta-galactosidase (método farmacogenético), e a proteína rodopsina (optogenética), para inibir seletivamente os neuronal ensembles envolvidos nas memórias associadas ao comportamento de busca ou de extinção da autoadministração de etanol. (AU)