Busca avançada
Ano de início
Entree

Transformar a hostilidade em festividade os bailes Murui-Muinai desde uma abordagem visual

Processo: 19/27034-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Antropologia Rural
Pesquisador responsável:Nashieli Cecilia Rangel Loera
Beneficiário:Marco Alejandro Tobón Ocampo
Supervisor no Exterior: Oscar Hernando Guarin Martinez
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Pontificia Universidad Javeriana, Bogotá, Colômbia  
Vinculado à bolsa:18/08937-5 - Os bailes rituais e a cura da guerra a Amazônia Indígena nos pós-acordos de paz na Colômbia, BP.PD
Assunto(s):Comunicação visual   Etnografia digital   Arquivos de audiovisuais   Hostilidade   Cura   Comportamento ritualístico   Povos indígenas

Resumo

O presente projeto propõe um estágio de pesquisa de 04 meses (março/2020 - junho/2019) no SensoLab (Laboratório de experimentação em imagem e som) da faculdade de Ciências Sociais da Pontificia Universidade Javeriana de Bogotá - Colômbia. Neste período, irei desenvolver, sob a supervisão do prof. Oscar Guarín, atividades de investigação com o material etnográfico coletado, especialmente imagens e registos audiovisuais, relacionados com minha pesquisa de pós-doutorado sobre os poderes dos bailes rituais dos Murui-Muinai para transformar as forças ameaçantes da guerra, da animalidade, em cuidado mutuo, o perigoso em proteção, a hostilidade em festividade. Como resultado da primeira fase de trabalho de campo do projeto Os bailes rituais e a cura da guerra. A Amazônia indígena nos pós-acordos de paz na Colômbia, processo FAPESP no. 2018/08937-5, foi compreendida a importância de expor, através da linguagem visual, os processos por meio dos quais os Murui-Muinai transformam os riscos da violência em defesa da vida. O trabalho junto com o prof. Oscar Guarín, quem tem pesquisado as narrativas visuais sobre a construção histórica das imagens sobre Amazônia, permitirá aprofundar na análise sobre como os bailes rituais amazónicos atuam como política, quer dizer, tratam questões públicas sobre os poderes e a morte, sobre as possibilidades da reconciliação e a transformação de corpos ferozes em corpos que dançam, que comemoram. Deste modo, além de contribuir com os estudos sobre os bailes rituais em povos amazónicos, se pretende elaborar um artefato de comunicação visual (vídeo ou sequência de fotos), que possa participar na interlocução pública sobre as formas coletivas de superar fatos de violência e os caminhos comuns de transição histórica e política.