Busca avançada
Ano de início
Entree

Temporalidades e espacialidades do comum: um estudo de práticas em São Paulo

Processo: 19/19127-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:David Moreno Sperling
Beneficiário:Mirna Sousa Linhares
Instituição-sede: Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Mapeamento geográfico   Espaço urbano   Prática social   Temporalidade

Resumo

Presencia-se um contexto crítico de vivência nos espaços da cidade. A dimensão político-ideológica neoliberal globalizada tem influenciado as diversas dimensões sociais e urbanas, direcionando a mercantilização da vida ao desconsiderar qualquer movimentação que não tem por fim gerar lucro e se moldar à lógica financeira. Nesse sentido, busca-se tratar do comum, um conceito que tem sido amplamente utilizado nos campos político, econômico e social, e que recebe diversas denominações e traduções como the common, commons, commoning, procomún, comum, bem comum. Esse conceito discute recursos coletivos, práticas sociais compartilhadas e se insere na composição das resistências urbanas da produção social contemporânea. Entendendo a cidade como o campo do comum, aborda-se, neste projeto de pesquisa, questões relacionadas à produção do comum na cidade de São Paulo/SP. Utilizando-se da cartografia como uma chave de leitura que dá visibilidade às múltiplas questões de disputa do espaço, o objetivo central consiste em analisar os agenciamentos espaciais e sociais que acionam o conceito teórico do comum no urbano, identificando as nuances que surgem na reprodução do discurso político do comum à concretização da prática na cidade contemporânea. O projeto enquadra-se como estudo de caso e pretende construir suas análises a partir da Teoria Ator-Rede (LATOUR, 2012), a qual permitirá traçar uma cartografia que buscará rastrear a relação entre o discurso e a prática. Como objeto de estudo, pretende-se abordar o movimento de luta pela consolidação do Parque Augusta e a ocupação da Casa Amarela Quilombo Afroguarany. Dessas relações, serão extraídas as bases para uma reflexão sobre essa mobilização pela retomada do comum na cidade, identificando-se, por meio dessa apropriação, se o discurso do comum tem consistência para se manter, expandir e continuar perpetuando na luta urbana. (AU)