Busca avançada
Ano de início
Entree

Lipossomas funcionalizados com ácido hialurônico para incorporação de abiraterona: desenvolvimento, caracterização físico-química e estudo de estabilidade

Processo: 19/26044-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Maria Palmira Daflon Gremião
Beneficiário:Felipe Tita de Lima
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Lipossomos   Funcionalização   Nanotecnologia farmacêutica

Resumo

O câncer de próstata destaca-se como uma das neoplasias que mais acometem a população masculina no Brasil e no mundo, constituindo um grave problema de saúde pública. A abiraterona destaca-se dentre os antineoplásicos mais promissores por sua eficácia e controle dos efeitos adversos, se comparada a outros tratamentos. No entanto, apesar de inúmeras vantagens clínicas, a abiraterona, assim como os demais quimioterápicos, possuir baixa solubilidade em água, toxicidade e não atua exclusivamente em células neoplásicas, o que resulta em uma significante gama de efeitos adversos para os pacientes. Entretanto, a toxicidade induzida pelo tratamento com abiraterona é um problema que pode ser minimizada através da incorporação do fármaco em sistemas nanoestruturados, uma vez que esses sistemas possuem capacidade de entregar o fármaco diretamente no sítio alvo, sendo este direcionamento tanto passivo (pelo efeito da permeabilidade e retenção aumentada) como ativo (através da vetorização da superfície com ligantes sítio específicos). Dentre estes sistemas, os lipossomas destacam-se como um dos nanocarreadores mais consolidados, já que possuem grande capacidade de encapsular tantos fármacos hidrofílicos e lipofílicos (como é o caso da abiraterona). Como uma das possibilidades de conjugação, destaca-se o ácido hialurônico, uma vez que esta molécula é o ligante natural do receptor CD44, superexpresso em células do câncer de próstata. Dessa forma, o ácido hialurônico ancorado na superfície do carreador se ligaria especificamente ao receptor alvo CD44, liberando a abiraterona de maneira seletiva, poupando as células saudáveis. Neste trabalho, contempla-se a caracterização dos sistemas por tamanho de partícula, índice de polidispersividade, potencial zeta, eficiência de encapsulação de abiraterona e espectroscopia do infravermelho. Adicionalmente, a eficiência de conjugação do ácido hialurônico aos lipossomas será avaliada por ressonância magnética nuclear, bem como a análise morfológica destes sistemas será observada por microscopia eletrônica de transmissão.