Busca avançada
Ano de início
Entree

Percepção e satisfação corporal do binômio mãe-filho

Processo: 20/02021-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Carla Maria Ramos Germano
Beneficiário:Thalia Silva Saraiva
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Relações mãe-filho   Consciência corporal   Imagem corporal   Coleta de dados   Inquéritos e questionários   Dados demográficos   Regressão linear   Regressão logística   Estudos transversais

Resumo

A percepção corporal é uma das dimensões da imagem corporal que é construída na infância e acompanha o indivíduo por toda a vida. Fatores como a família, a mídia e o ambiente social podem alterar a percepção da criança sobre seu corpo de forma positiva ou negativa. Crianças com excesso de peso apresentam, frequentemente, uma autopercepção negativa e a decorrente insatisfação corporal se constitui como fator de risco para baixa-autoestima, depressão, distúrbios alimentares e menor qualidade de vida. A mãe, como principal modelo social dos filhos, tem papel fundamental na construção da percepção e satisfação corporal da criança. Diante disso, e frente a escassez de pesquisa com pré-escolares, o presente estudo objetivo compreender o quanto a percepção dos pais sobre a criança influencia na sua autoimagem e percepção corporal, e qual a prevalência e quão precoces são os distúrbios de imagem corporal na população infantil. Trata-se de uma pesquisa descritiva, transversal e quantitativa que será desenvolvida nas USFs da cidade de São Carlos, sobre amostra de conveniência, com crianças pré-púberes de e 5 e <8 anos de idade e seus responsáveis. Serão aplicados três questionários como instrumentos para a coleta de dados: Questionário Sociodemográfico, Escala Infantil da Imagem Corporal de Truby e Paxton e Escala de silhueta de Stunkard. As crianças terão o peso, altura e circunferência abdominal aferidos. O nível de obesidade e/ou sobrepeso será avaliado pelo Índice de Massa Corporal e os valores obtidos serão comparados com os recomendados pela OMS para a faixa etária e sexo. Os resultados serão apresentados como média ± desvio padrão, mediana, mínimo e máximo, para as variáveis quantitativas e como frequência e porcentagem para as variáveis qualitativas. A significância estatística das diferenças será determinada por análise de variância (Anova) ou pelo teste t, conforme o número de variáveis. O teste de correlação de Pearson será utilizado para avaliar o grau de correlação entre as variáveis e a comparação entre as variáveis categóricas será feita pelo teste do qui quadrado (ou teste de Fisher). A análise de correlação múltipla será realizada pelo método de Regressão Linear. A análise de razão de chance (Odds ratio) será realizada pelo teste de regressão logística. A consistência interna dos valores dos questionários será avaliada pelo teste alfa de Cronbach (±). Nível de significância de 5%. (AU)