Busca avançada
Ano de início
Entree

Aprimorando modelos de culturas para balanços de C e N: cenários de longo prazo para melhorar as práticas de manejo agrícola sustentável

Processo: 22/02396-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2022
Vigência (Término): 31 de agosto de 2024
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Pellegrino Cerri
Beneficiário:Evandro Henrique Figueiredo Moura da Silva
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Empresa:Universidade de São Paulo (USP). Escola Politécnica (EP)
Vinculado ao auxílio:20/15230-5 - Centro de Pesquisa e Inovação de Gases de Efeito Estufa - RCG2I, AP.PCPE
Assunto(s):Modelos analíticos   Modelagem e simulação   Gases do efeito estufa   Sequestro de carbono   Manejo sustentável   Agricultura sustentável   Produção de alimentos   Segurança alimentar   Mudança climática

Resumo

A matéria orgânica do solo é o maior reservatório de carbono da biosfera. O conhecimento do balanço de carbono do solo pode ajudar a prever o esgotamento dos estoques de carbono do solo e o efluxo de dióxido de carbono (CO2). O balanço de carbono do solo está diretamente relacionado ao fornecimento de nutrientes no solo, principalmente o nitrogênio que tem importância na produção global de alimentos, e seu impacto no meio ambiente relacionado à volatilização da amônia (NH3). Para atender a crescente demanda por alimentos, rações, fibras e biocombustíveis, as áreas agrícolas no Brasil vêm se expandindo fortemente desde a última década atingindo áreas com condições edafoclimáticas adversas. A escassez de novas terras aráveis disponíveis para o aumento da produção gera a necessidade proeminente da intensificação agrícola, que busca elevar a produtividade das culturas. O Brasil é um dos maiores produtores agrícolas do mundo e tem assumido um lugar chave para suprir a demanda global futura por alimentos a preços razoáveis. No entanto, as questões de emissões de GEE e mudanças climáticas têm colocado uma pressão extra na produção de alimentos, que demandarão práticas de manejo agrícola que agreguem sustentabilidade ao processo produtivo. Nessa direção, publicações recentes têm mostrado o efeito do manejo agrícola do solo no sequestro de carbono e na redução da volatilização da amônia sob diferentes condições ambientais. Essas pesquisas podem ser aprimoradas pela modelagem de culturas, que foram bem testadas em condições temperadas, mas pouco tem sido publicado tratando de processos de balanço de carbono e nitrogênio com dados provenientes de experimentos bem conduzidos em condições tropicais e subtropicais. Os modelos de sistemas de cultivos podem ser usados para simular os efeitos do balanço de carbono e nitrogênio do solo em diversas culturas. Nosso objetivo neste projeto de pesquisa será utilizar os modelos de culturas que compõem o ecossistema do Decision Support System for Agrotechnology Transfer (DSSAT), em conjunto com dados de campo, para determinar o impacto de diversos manejos agrícolas na redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) em diferentes ambientes , disponibilidade de água, solos, culturas, práticas de preparo do solo e corretivos orgânicos; possibilitando a geração de resultados em larga escala no tempo e no espaço. Desta forma, este projeto poderá contribuir com a intensificação sustentável da agricultura no Brasil, e auxiliar nas metas de redução de emissões de GEE assumidas pelo País no Acordo de Paris. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)