Busca avançada
Ano de início
Entree

Vacinação contra a COVID- 19: de onde viemos, onde estamos e para onde vamos?

Processo: 23/01925-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2023
Vigência (Término): 30 de novembro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luis Carlos de Souza Ferreira
Beneficiário:Jessica Pires Farias
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Virologia   COVID-19   SARS-CoV-2   Anticorpos   Vacinas   Variantes genéticas
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Anticorpos | SARS-CoV-2 | Spike | Vacinas | Variantes Genéticas | Virologia

Resumo

A COVID-19 é uma infecção viral de alto potencial de transmissão e amplo espectro clínico, causada pelo vírus SARS-CoV-2. O primeiro caso da doença foi identificado na cidade de Wuhan, China, em 2019 e foram necessários apenas alguns meses para que ela ultrapassasse as fronteiras continentais e fosse então reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma pandemia. Ao longo dos mais de três anos que se sucederam após esse advento, foi imperativo o debruce cientifico para o entendimento dos mecanismos fisiopatológicos e imunológicos humanos, bem como a elucidação do comportamento viral para o desenvolvimento de tecnologias vacinais que permitissem o controle da doença. Hoje, mais de 70% da população mundial foi vacinada contra a COVID-19, mas o constante aparecimento de novas variantes virais com elevadas taxas de mutações genéticas que permitem escape vacinal é um gargalo científico contra o aparecimento de novos surtos. Assim, estudos que permitem o acompanhamento em tempo real da resposta da imunológica vacinal da população contra novas variantes virais podem auxiliar na compreensão e desenvolvimento célere de novos antígenos vacinais capazes de controlar novas epidemias da doença. O objetivo do presente projeto é verificar o desempenho dos regimes vacinais administrados no Brasil contra a COVID-19 frente as variantes/subvariantes genéticas do SARSCoV-2 circulantes e diante dessa resposta, propor a atualização de antígenos para novas formulações vacinais. Tal meta deverá ser atingida por meio da combinação de duas abordagens metodológicas. A primeira voltada para a realização de um estudo clínico observacional em uma coorte com indivíduos do município de Barreiras, Bahia, onde serão verificados: a) a longevidade e a qualidade das respostas imunológicas induzidas pelas políticas de vacinação vigentes e b) sequências genômicas dos vírus circulantes no período de estudo. Serão analisados dados pessoaise amostras de secreção naso-faríngea e sangue, coletados entre maio de 2020 a maio de 2024. A segunda estratégia metodológica deste projeto está voltada para o desenvolvimento de um estudo computacional para identificar antígenos promissores que possam melhorar a resposta imunológica induzida pela vacinação contra o SARS-CoV-2 num cenário de mutações genéticas de escape. Almeja-se ainda desenhar novos antígenos com potencial vacinal por meio da análise de epítopos conservados para células B e T e valida-los de forma experimental com vacinas genéticas capazes de codificar um candidato antigênico ideal e monitoramento das respostas imunológicas específicas induzidas em animais. Espera-se que a combinação dessas abordagens gere informações mais precisas sobre o desempenho dos regimes vacinais contra a COVID-19 utilizados no país, com aplicação imediata em políticas públicas de vacinação e controle da doença e que permita de forma consequente, o desenvolvimento de antígenos vacinais inovadores à prova de mutações de escape, tendo em vista a alta capacidade de variação antigênica do vírus causador da COVID-19. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)