Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação em nível de microscopia eletrônica de transmissão do nervo frênico de ratos diabéticos crônicos induzidos experimentalmente

Processo: 07/08498-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Valéria Paula Sassoli Fazan
Beneficiário:Caroline Echavarria Rodrigues Jordão
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Microscopia eletrônica   Morfometria   Sistema nervoso periférico   Nervo frênico

Resumo

A neuropatia periférica é uma das mais freqüentes complicações do diabete humano. As alterações descritas são perda de fibras nervosas, degeneração axonal e desmielinização segmentar. Em modelos experimentais de diabete, evidências morfológicas e funcionais de neuropatia periférica tem sido descritas. Diferentemente da neuropatia diabética humana, as alterações experimentais sugerem principalmente uma axonopatia e, as lesões na mielina são descritas como secundárias a alteração axonal. Das neuropatias periféricas, a neuropatia do nervo frênico tem sido cada vez mais reconhecida. Resultados prévios do nosso laboratório demonstraram que as fibras mielínicas do nervo frênico de ratos com diabete experimental crônico, induzido pela estreptozotocina (STZ), apresentam sinais morfológicos e morfométricos de atrofia axonal. Entretanto, é amplamente conhecido que o diabete, tanto humano, quanto experimental, pode cursar com uma neuropatia de fibras finas, que culmina com perda dessas fibras. O nervo frênico é o principal nervo envolvido na respiração, sendo o único suprimento motor para o diafragma. Embora o nervo frênico contenha grande número de fibras motoras de grande calibre (sabidamente comprometidas no diabete experimental crônico induzido pela STZ, como mostrado previamente em nosso laboratório), ele também contém fibras mielínicas finas e fibras amielínicas, relacionadas ao sistema nervoso autonômico, que podem estar afetadas no diabete. Em nossos resultados prévios, a investigação dos efeitos da neuropatia diabética no nervo frênico foi realizada em nível de microscopia de luz. Assim somente foi possível determinar alterações nas fibras mielínicas, principalmente as de grande calibre. Para a investigação das fibras finas e, principalmente as fibras amielínicas, se faz necessário um estudo em nível de microscopia eletrônica de transmissão. Dessa forma, o presente projeto propõe a investigação, no nervo frênico de ratos, da neuropatia diabética experimental crônica, induzida pela STZ, em nível de microscopia eletrônica de transmissão, com a realização da morfometria das fibras amielínicas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FAZAN, VALERIA PAULA S.; RODRIGUES FILHO, OMAR A.; JORDAO, CAROLINE E. R.; MOORE, KENNETH C. Phrenic nerve diabetic neuropathy in rats: unmyelinated fibers morphometry. JOURNAL OF THE PERIPHERAL NERVOUS SYSTEM, v. 14, n. 2, p. 137-145, JUN 2009. Citações Web of Science: 12.
SASSOLI FAZAN, VALERIA PAULA; RODRIGUES FILHO, OMAR ANDRADE; RODRIGUES JORDAO, CAROLINE ECHAVARRIA; MOORE, KENNETH CHARLES. Ultrastructural Morphology and Morphometry of Phrenic Nerve in Rats. Anatomical Record-Advances in Integrative Anatomy and Evolutionary Biology, v. 292, n. 4, p. 513-517, APR 2009. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.