Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da expressão da MMP-7 e MMP-9 em rins de camundongos submetidos a isquemia e reperfusão

Processo: 08/58857-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maria Helena Bellini Marumo
Beneficiário:Thiago França Malpighi Santos
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Lesão renal aguda   Metaloproteinases da matriz   Isquemia e reperfusão   Reperfusão   Isquemia   Proteínas supressoras de tumor   Metaloproteinase 7 da matriz   Metaloproteinase 9 da matriz   Endostatinas

Resumo

A insuficiência renal aguda (IRA) é uma síndrome, resultante da queda abrupta na filtração glomerular. A isquemia é a principal causa da IRA e, invariavelmente, promove a restrição de oxigênio e nutrientes e o acúmulo de metabólitos nos tecidos. O processo de reperfusão tecidual, fundamental para recuperação renal, é também, uma agressão adicional principalmente pelo aumento na produção de radicais livres durante a re-oxigenação. Alterações vasculares ocorrem desde a fase de iniciação da IRA e estende-se para o processo de reperfusão apesar disto, o seu papel na fisiopatologia ainda é muito desconhecido. O colágeno XVIII é proteoglicano não fibrilar, membro do subgrupo das multiplexinas. Esta proteína forma homotrímeros e contém uma região N-terminal não-colágeno (NC11), 10 sequências de colágeno repetidas alternadas com 9 sequências repetidas não colágeno e a região C-terminal não colágeno (NC1). A região NC1 pode sofrer clivagem por proteases (catepsina L, elastase) ou metaloproteinases (MMP-7, MMP-9) e liberar endostatina e suas isoformas. Esses fragmentos peptídicos foram detectados no plasma sanguíneo e extratos teciduais durante processos fisiológicos e patológicos. A endostatina (22 kDa), tornou-se foco de interesse médico quando descobriu-se sua atividade supressora tumoral antigiogênica. O processamento proteolítico do colágeno XVIII gera trímeros da região NC1 e monômero de endostatina, ambas formas. (AU)