Busca avançada
Ano de início
Entree

Hábitos alimentares, frequência de atividade física e qualidade de vida em mulheres com síndrome dos ovários policísticos

Processo: 08/58933-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 31 de março de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:José Mendes Aldrighi
Beneficiário:Helena Proni Fonseca
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Atividade física   Hábitos alimentares   Qualidade de vida

Resumo

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é caracterizada fundamentalmente por anovulação crônica e hiperandrogenismo e representa a endocrinopatia mais comum nas mulheres em idade fértil, afetando cerca de 5 a 10% dessa população. A SOP tem uma apresentação clínica variável, podendo associar-se a uma série de agravos, como os reprodutivos, oncológicos e os metabólicos Incluindo resistência insulínica, diabetes mellitus tipo 2, obesidade, dislipidemia, irregularidade menstrual e infertilidade. A obesidade, o hiperandrogenismo e a infertilidade são as principais comorbidades que modificam a auto-imagem da paciente, levando a uma redução da sua auto-estima, o que, associado aos outros agravos que comprometem sua saúde, gera uma grande diminuição da qualidade de vida. A perda de peso está associada à melhora de diversas comorbidades, incluindo o hiperandrogenismo, a infertilidade, a dislipidemia e a resistência insulínica. Entretanto, existem poucos estudos avaliando o impacto dos hábitos alimentares e exercidos físicos, sem associação com grande perda de peso, na melhora destas comorbidades. O presente projeto espera analisar esta influência através de um estudo transversal de caso-controle, analisando 90 pacientes do ambulatório de Síndrome dos Ovários Policísticos do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, sendo que 60 dessas pacientes deverão apresentar a SOP (Grupo A) e 30 mulheres serão controles, não podendo apresentar a SOP (Grupo B). Nestas pacientes serão aplicados questionários sobre hábitos alimentares e prática de atividade física. A análise estatística pelo método do X2 ou de Fisher. Espera-se encontrar associações favoráveis entre a prática de exercidos físicos regulares e boa alimentação e a melhora das comorbidades associadas é SOP, garantindo uma melhor qualidade devida para as pacientes afetadas. (AU)