Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in-vitro e in-vivo de seringas, agulhas, e técnicas para injeção intravítrea e suas implicações clínicas: avaliar a distribuição intravítrea de drogas injetadas intravítreas em olhos..

Processo: 09/52834-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Michel Eid Farah
Beneficiário:Diego Monteiro Verginassi
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Retina   Vitrectomia   Procedimentos cirúrgicos oftalmológicos

Resumo

Para a avaliação da distribuição de drogas após a injeção intravítreas será aplicado um volume de 0.01ml, 0.03ml, 0.05ml e 1ml de uma imunoglobulina FITC labeled goat anti-mouse IgG (100 μg/ml), que é um marcador fluorescente para evidenciar a distribuição de substancias em tecidos humanos. A outra substância injetada intravitrea será 0.1ml de rhodamine-labelled serum albumin (R-ALB). O experimento consistirá na injeção dessa imunoglobulina por diferentes seringas/agulhas em diferentes posições intravítreas em 30 olhos de coelhos. A ponteira da agulha será posicionada na parte anterior-superior do vítreo, no centro e na parte posterior do vítreo. Serão usadas agulhas de 26G, 27G, 29, 30G, e 31G, enquanto que as seringas usadas deverão ser de volumes de 0.3 ml, 0.5 ml e 1 ml. A injeção será feita de três formas no que se refere a pressão da injeção: injeção gentil e devagar, média pressão e de média intensidade, e a terceira forma será uma injeção rápida com alta pressão. Após a injeção, os olhos dos coelhos serão enucleados e congelados rapidamente em nitrogênio líquido31. Em seguida serão embebados em temperatura ótima de corte com (Tissue-Tek O.C.T. Compound; Algol, Espoo, Finland). A partir disso, o vítreo será dividido em 12 áreas, e serão feitos cortes transversais cryosections de 5-μm para obter camada fina para análise histológica (Figura 1). A análise do vítreo será feita nos tempos de 15 minutos, uma hora, 3 horas, e um dia após a injeção intravitrea. A intensidade fluorescente da FITC será analisada através de microscopia confocal é microscopia de fluorescência convencional (utilizando um microscópio Olympus® (Olympus Inc., Japan) BX40 com uma fonte de luz U-RFL-T), usando o filtro U-MSWB2 (espectro de absorção: 499nm; espectro de emissão: 520 nm). As fotos serão tiradas com uma câmera fotográfica acoplada ao microscópio, utilizando um software especifico. A intensidade mensurada de 0 até 4+ será utilizada para avaliar a distribuição da droga pelo vítreo de acordo com a intensidade de fluorescência. Após análise da intensidade de fluorescência, cada amostra será submetida a citometria de fluxo/ELISA para dosagem da quantidade de imunoglobulina IGG presente na ordem de microgramas por ml 32. (AU)