Busca avançada
Ano de início
Entree

Mudanças ambientais globais e políticas públicas locais: riscos e alternativas

Processo: 10/10648-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia
Pesquisador responsável:Leila da Costa Ferreira
Beneficiário:Alberto Matenhauer Urbinatti
Instituição-sede: Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (NEPAM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/58159-7 - Crescimento populacional, vulnerabilidade e adaptação: dimensões sociais e ecológicas das mudanças climáticas no litoral de São Paulo, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Governabilidade   Políticas públicas   Litoral   Riscos ambientais   Mudança climática

Resumo

De acordo com Beck (1992; 1995) as mudanças climáticas são parte de um novo conjunto de riscos produzidos pelo processo de avanço científico e tecnológico, qualitativamente diferente dos riscos das sociedades pré-industriais ou industriais. Esses novos riscos são caracterizados por seu alcance global, pelo conhecimento incompleto de suas causas e consequências, pelo fato de ser incalculável e impossível de compensar, além de muitas vezes invisível (o que exige conhecimento especializado para reconhecer e medi-los). Também são incontroláveis, de difícil identificação e, muitas vezes, irreversíveis. A partir desta perspectiva, este trabalho tem por objetivo refletir sobre os desafios das mudanças climáticas e as respostas que a nossa sociedade tem construído para esse problema. O objetivo é explorar como a mudança climática está sendo abordada e como os governos locais em cidades litorâneas brasileiras estão reagindo a ele em termos de estratégias e instrumentos. Do ponto de vista institucional, o fato de que esses governos estão equipados de forma a avançar para a internalização de indicadores de sustentabilidade em suas várias dimensões, é considerada importante, no entanto, as ações implementadas estão longe das preocupações com questões globais, como as alterações climáticas. Assim, a discussão sobre estruturas político-institucionais e políticas de sustentabilidade nas cidades tem ganhado importância na agenda política do início do século 21. (AU)