Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização dos parâmetros reprodutivos e morfo-fisiológicos do camundongo eNOS -/- criado no CEDEME/Unifesp

Processo: 04/02232-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2004
Vigência (Término): 31 de maio de 2005
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Aron Jurkiewicz
Beneficiário:Camila Martins de Oliveira
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia animal   Morfologia animal   Reprodução animal

Resumo

Foram trazidos nestes últimos sete anos várias linhagens de camundongos nocautes e transgênicos ao CEDEME. Muitas alterações nos parâmetros reprodutivos e de crescimento têm sido observadas em estudos com animais geneticamente modificados (MISKIN R & MASOS T, 1997). Assim, pretendemos estabelecer a caracterização de alguns parâmetros reprodutivos (curva de peso, filhotes/ninhada, taxa de desmame, intervalo entre gestações), e morfológicos (nanismo e alterações da cauda) do camundongo nocaute eNOS -/- (com deficiência na produção de óxido nítrico), que se encontra atualmente na décima geração da maternidade, com sistema fechado de acasalamento monogâmico intensivo entre irmãos. Usaremos como controle camundongos C57BL/6, não-geneticamente modificados, complementando e aprofundado um estudo anterior do nosso grupo de pesquisa no início da importação do animal, pois acreditamos que algumas alterações fenotípicas, devido a sua modificação genética, podem surgir após várias gerações. Embora o objetivo principal seja a monitoração da criação dessa linhagem, os dados obtidos propiciarão também mais informações sobre o papel do óxido nítrico no organismo. Permitirão também que a bolsista tenha treinamento em técnicas de laboratório rotineiras no CEDEME, como a genotipagem dos animais geneticamente modificados e a determinação do ciclo estral de camundongos. Finalmente, receberá treinamento sobre as normas operacionais utilizadas no nosso biotério de circulação restrita. (AU)