Busca avançada
Ano de início
Entree

Genômica funcional e comparativa em fungos. Subprojeto: Mecanismos moleculares envolvidos no sensoriamento do pH em Neurospora crassa e em outros fungos

Processo: 09/15426-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2009
Vigência (Término): 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Antonio Rossi Filho
Beneficiário:Glauce Lunardelli Trevisan
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/58634-7 - Genômica funcional e comparativa em fungos, AP.TEM
Assunto(s):Genômica funcional   Genômica comparativa   Fungos   Neurospora crassa

Resumo

A maioria dos microrganismos estabeleceu ao longo da evolução redes de transdução de sinais que permitem a eles se adaptarem rapidamente às privações nutricionais, à presença de agentes antimicrobianos, às condições estressantes da interação com o hospedeiro, entre outras. Essa maquinaria metabólica também responde a sinalização do pH ambiental, uma adaptação possivelmente envolvida na patogenicidade fúngica. Nós descrevemos que o dermatófito Trichophyton rubrum eleva o pH ambiente de ácido para alcalino durante o cultivo em substratos queratinizados, alterando simultaneamente o perfil enzimático secretado. Essa alteração do pH parece determinante para o sucesso do processo infeccioso, quando o fungo se depara com o pH ácido da pele humana. Vários genes que respondem ao pH ambiente, incluindo o gene pacC, que codifica uma proteína homóloga da família da PacC/Rim101p dos reguladores de transcrição em função do pH, foram identificados nos fungos modelo Aspergillus nidulans e Neurospora crassa e no dermatófito T. rubrum. A função da maioria desses genes foi identificada, porém muitos pontos dos processos de interação entre eles não foram esclarecidos. Nossa proposta é analisar transcricionalmente T. rubrum durante sua interação com células da epiderme humana e outras moléculas presentes no ambiente hospedeiro; aprofundar o conhecimento dos mecanismos moleculares envolvidos no sensoriamento pelo pH ambiente e o seu papel na patogenicidade fúngica; identificar novos mecanismos moleculares envolvidos na resistência e na adaptação a inibidores fúngicos e consequentemente contribuir para o controle da infecção fúngica. (AU)