Busca avançada
Ano de início
Entree

Amplitudes de espalhamento da supercorda

Processo: 04/06639-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2004
Vigência (Término): 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Nathan Jacob Berkovits
Beneficiário:Geova Maciel de Alencar Filho
Instituição-sede: Instituto de Física Teórica (IFT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/12763-0 - Pesquisa e ensino em teoria de cordas, AP.TEM
Assunto(s):Supersimetria   Gravitação

Resumo

A obtenção de uma descrição unificada de todas as forças fundamentais na natureza é um sonho antigo dos físicos teóricos. Presentemente, a teoria de supercordas é o único modelo quanto-mecânico consistente para se descrever partículas com interações gravitacionais e Yang-Mills. Todas as outras tentativas de se unificar essas forcas sofrem de divergências quanto-mecânicas nas amplitudes de espalhamento que não podem ser removidas através de renormalização. Mesmo que a teoria de supercordas não seja a teoria de unificação final, provavelmente contem alguns dos ingredientes essenciais de tal teoria. Um igrediente das supercordas que é crucial para a remoção das divergências quanto-mecânicas é a supersimetria de espaço-tempo. Entretanto, no formalismo usual de supercordas de Neveu-Schwarz-Ramond, os efeitos de supersimetria de espaço-tempo são extremamente difíceis de se analisar. Embora exista o formalismo alternativo de Green-Schwarz onde a supersimetria de espaço-tempo é manifesta, o formalismo GS pode ser quantizado somente no gauge do cone-de-luz, o que reduz tremendamente a sua utilidade. Recentemente, um novo formalismo de supercordas foi descoberto onde a supersimetria de espaço-tempo é manifesta e que pode ser quantizado sem quebrar invariância Lorentz [1], Existem vários aspectos interessantes que podem ser investigados usando este novo formalismo. Um aspecto envolve as amplitudes de espalhamento dos grávitons. No nível de árvore, estas amplitudes correspondem a relatividade geral clássica e são semelhantes as amplitudes de espalhamento dos grávitons na corda bosônica. Mas quando as amplitudes de espalhamento envolvem loops, o comportamento das amplitudes na teoria de supercordas é diferente do que na teoria de relatividade geral porque elas não sofrem de divergências quânticas. A ausência das divergências está relacionada com supersimetria, e porque a supersimetria é manifesta no formalismo covariante de [1], seria interessante estudar a estrutura das amplitudes de espalhamento dós grávitons usando o formalismo de [1]. O plano de pesquisa para Geova Maciel é usar este novo formalismo covariante da supercorda para investigar propriedades das amplitudes de espalhamento dos grávitons. No primeiro ano do doutorado, ela vai estudar teoria quântica de campos e supersimetria. No segundo ano do doutorado, ele vai estudar a supercorda usando os livros de Polchinski [2] e Green-Schwarz- Witten [3]. E no terceiro ano, ele vai pesquisar a estrutura das amplitudes de espalhamento usando o formalismo covariante da supercorda. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ALENCAR, GEOVA. Type I supergravity effective action from pure spinor formalism. Journal of High Energy Physics, n. 2 FEB 2009. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.