Busca avançada
Ano de início
Entree


Identificação de DNA de Leishmania sp. no encéfalo de cães com Leishmaniose visceral

Texto completo
Autor(es):
Cinthya Brillante Cardinot
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Araçatuba. 48 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina Veterinária
Data de defesa:
Membros da banca:
Wagner Luis Ferreira; Márcia Dalastra Laurenti
Orientador: Mary Marcondes
Resumo

Existem poucos relatos de alterações neurológicas em cães com leishmaniose visceral, com ou sem a participação de outros agentes etiológicos oportunistas. O presente estudo teve por objetivo pesquisar, por PCR em Tempo Real, a presença de DNA de Leishmania sp. no encéfalo de cães naturalmente acometidos por leishmaniose visceral (LV). Foram avaliados 24 cães com LV, dos quais dois eram assintomáticos e dois possuíam também sintomas neurológicos. Ocorreu a amplificação do DNA de Leishmania sp. no encéfalo de 23/24 (95,8%) cães. A carga parasitária variou de 2 a 16.964 amastigotas/mL com mediana de 116 parasitos/mL e média e desvio padrão de 1.166 ± 3.546 parasitos/mL. A média de parasitos nos cães com LV com alterações neurológicas, nos animais sintomáticos sem alterações neurológicas e nos assintomáticos foi, respectivamente, 2.010, 1.119 e 772 parasitos/mL. Estes resultados demonstram que o parasito tem capacidade de penetrar no tecido nervoso e deve contribuir para o desenvolvimento das lesões neurológicas (AU)

Processo FAPESP: 11/15971-6 - As lesões do sistema nervoso central de cães com leishmaniose visceral são decorrentes da presença do parasita?
Beneficiário:Cinthya Brillante Cardinot
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado