Busca avançada
Ano de início
Entree


Revisão taxonômica e análise cladística, baseada em dados morfológicos, do gênero Ormiophasia Townsend, 1919 (Diptera, Tachinidae, Ormiini)

Texto completo
Autor(es):
Filipe Macedo Gudin
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Silvio Shigueo Nihei; Eduardo Andrade Botelho de Almeida; Carlos José Einicker Lamas
Orientador: Silvio Shigueo Nihei
Resumo

A família Tachinidae é uma das maiores famílias de Diptera, totalizando mais de dez mil espécies descritas, grande parte da Região Neotropical, cuja classificação é extremamente confusa. Além disso, todos os taquinídeos com bionomia registrada possuem larvas endoparasitoides de outros artrópodes. Os taquinídeos da tribo Ormiini são notáveis por possuírem uma adaptação extrema para localização de seus hospedeiros (Orthoptera, Ensifera). Seus representantes apresentam o prosterno muito desenvolvido e inflado, formando uma membrana acústica. Essa estrutura é mais desenvolvida nas fêmeas, as quais localizam o hospedeiro fonotaticamente. A tribo é composta por sete gêneros, distribuídos mundialmente, com Ormiophasia Townsend, 1919, sendo o único endêmico da Região Neotropical, com nove espécies válidas. Porém, tradicionalmente sua validade tem sido questionada, sendo considerado sinônimo de Ormia Robineau-Desvoidy, distribuído em toda a América. O objetivo deste trabalho é revisar a taxonomia de Ormiophasia, redescrever as espécies atuais, descrever as espécies novas, fornecer uma chave de identificação das espécies e mapas de distribuição atualizados. Além disso, foi realizada uma análise cladística com a finalidade de testar a monofilia de Ormiophasia, verificar seu posicionamento filogenético na tribo e os relacionamentos de suas espécies. Para a revisão taxonômica, foram estudados espécimes de Ormiophasia emprestados de diversas coleções nacionais e internacionais. Para a análise cladística, foram construídos 58 caracteres morfológicos com 32 terminais (15 no grupo interno e 17 no grupo externo), submetidos a análise de parcimônia no software TNT. Caracteres foram tratados como não ordenados e não aditivos. Diferentes esquemas de pesagem implícita foram realizados para verificar o fitness dos caracteres homoplásticos. Glaurocara flava Thomson foi utilizada para enraizar o diagrama. Como resultado, Ormiophasia é reconhecido como um gênero válido e distinto dos demais Ormiini por possuir coloração amarelo-acastanhada, castanho ou castanho-escura, ausência de calosidades na veia costal, ocelos grandes e desenvolvidos, somente um par de acrosticais pré-suturais e os cercos masculinos com extremidade completamente fundida e larga. Oito espécies válidas são reconhecidas aqui, com a proposta de uma sinonímia, O. travassosi syn. jr. de O. inflata. Além disso, oito espécies novas foram descritas. Ormiophasia possui uma distribuição endêmica à Região Neotropical, extendendo-se do sul do México ao norte da Argentina. Na análise cladística, Ormiini foi recuperado com dois grandes clados: Velho Mundo e Novo Mundo, no qual Ormiophasia e Ormia se encontram. Ormiophasia foi recuperado como um gênero monofilético, com pelo menos três sinapomorfias, sendo grupo-irmão de Ormia. Caracteres da terminália feminina e do primeiro ínstar larval contribuíram fortemente para a resolução das topologias de Ormiini e Ormiophasia (AU)

Processo FAPESP: 12/17847-3 - Revisão taxonômica e análise cladística de Ormiophasia Townsend, 1919 (Diptera, Tachinidae, Ormiini).
Beneficiário:Filipe Macedo Gudin
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado