Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudo da cobertura pedológica e sua relação com a formação e evolução de depressões no sudoeste de Macaraí (SP)

Texto completo
Autor(es):
Grace Bungenstab Alves
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH/SBD)
Data de defesa:
Membros da banca:
Jose Pereira de Queiroz Neto; Heloísa Ferreira Filizola; Maria Teresa de Nóbrega; Antonio Manoel dos Santos Oliveira; Fábio Soares de Oliveira
Orientador: Jose Pereira de Queiroz Neto
Resumo

Esta pesquisa investigou a cobertura pedológica para compreender os processos pedogenéticos que atuam na formação e evolução das depressões fechadas existentes no Compartimento Três Cantos. A área de estudo está situada no sudoeste do município de Maracaí-SP, no interflúvio entre o ribeirão das Anhumas e o rio Capivara, afluentes do rio Paranapanema. A área apresenta depressões fechadas na parte cimeira, com solos vermelho-amarelos e vermelhos, de textura média, e couraças. Para atingirmos o nosso objetivo avaliamos duas topossequências na depressão da lagoa Mandacaru, e os fatores regionais e locais que poderiam contribuir para a formação e evolução das depressões. O estudo da cobertura pedológica seguiu os procedimentos da Análise Estrutural da Cobertura Pedológica propostos por Boulet et al. (1982). Os resultados mostraram que os processos pedológicos que predominam na área são latossolização, a hidromorfia e a iluviação. A latossolização transforma a couraça em Latossolos. A hidromorfia ataca a couraça e os horizontes Bw, transformando-os em uma estrutura em blocos quando seca, e maciça quando úmida, é combinada com o processo de iluviação que transforma o horizonte A e Bt em E, resultando em Argissolos. A latossolização foi o primeiro processo à transformar as couraças, e com a instalação de condições mais úmidas, a hidromorfia transformou as couraças e os latossolos, deformando o platô em que estavam instalados. A hidromorfia, portanto, seria a responsável pelo início da formação da depressão, e o processo de iluviação seria subsequente e contribuiria para o aprofundamento e alargamento das depressões. A formação das depressões está relacionada à estrutura geológica, e as depressões são o estágio inicial da rede de drenagem, como pode ser observado nas áreas em que as depressões foram abertas e que os solos ainda não estão ajustados à nova forma das vertentes. (AU)