Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação do uso de Selante de Fibrina derivado do veneno de serpente como arcabouço biológico de células tronco mesenquimais na regeneração óssea do fêmur de ratos

Texto completo
Autor(es):
Camila Fernanda Zorzella Creste
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Botucatu. 2015-08-20.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Medicina. Botucatu
Data de defesa:
Orientador: Rui Seabra Ferreira Júnior; Patrícia Rodrigues Orsi
Resumo

A reconstrução do tecido ósseo se faz necessária a partir de doenças esqueléticas, másformações congênitas, infecções, trauma e tratamentos cirúrgicos após alguns tipos de câncer. Os biomateriais desempenham um papel fundamental, fornecendo um modelo tridimensional para a formação do novo osso. São utilizados como veículos para a entrega de células tronco mesenquimais (CTMs), e também podem atuar como um microambiente sintético em termos de composição química, estrutura física e com porções biologicamente funcionais. A possibilidade da utilização de um selante de fibrina, cujo fator polimerizador é derivado do veneno de serpente (SFDVS), apresenta vantagens como a não utilização de sangue humano e o controle do tempo de coagulação e degradação do selante, adequandoo à necessidade cirúrgica. O objetivo deste trabalho foi avaliar o uso do SFDVS associado ou não à CTMs na regeneração óssea do fêmur de ratos. Foi estabelecido um defeito crítico de 5mm no fêmur de ratos, que foram tratados com SFDVS ou SFDVS + CTMs. Os animais foram eutanasiados aos 03, 21 e 42 dias após a cirurgia e os fêmures encaminhados para análise radiográfica, histológica e de microscopia eletrônica de varredura (MEV). O procedimento de isolamento, produção e caracterização das CTMs mostrou-se adequado, podendo ser utilizado em estudos posteriores. As CTMs foram positivas para CD90 e ICAM e negativas para MHC de classe II, CD34 e CD11b, confirmando o fenótipo de CTMs. As análises radiográficas demonstraram que, tanto no grupo SFDVS quanto no grupo SFDVS + CTMs houve preenchimento significativo da lesão, após 42 dias de observação, com formação de tecido radiograficamente semelhante ao tecido normal. As imagens de MEV demonstraram que o SFDVS estava presente no local da lesão após 03 dias. No 21º dia, foi possível observar a presença de tecido ósseo esponjoso nos dois grupos de tratamento e no 42º houve... (AU)

Processo FAPESP: 13/02004-3 - Avaliação do uso do Selante de Fibrina derivado do veneno de serpente como arcabouço biológico de células tronco mesenquimais na regeneração óssea do fêmur de ratos
Beneficiário:Camila Fernanda Zorzella Creste
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado