Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeitos neuroprotetores do Edaravone na hidrocefalia experimental induzida em ratos Wistar

Texto completo
Autor(es):
Camila Araújo Bernardino Garcia
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Valeria Paula Sassoli Fazan
Orientador: Hélio Rubens Machado
Resumo

Introdução: Hidrocefalia é uma síndrome caracterizada pelo acúmulo de líquido cérebroespinal no interior das cavidades ventriculares. Considerando a sua fisiopatologia de caráter multifatorial um dos fatores envolvidos é o estresse oxidativo desencadeado pela peroxidação lipídica e formação de radicais livres. O Edaravone é um novo fármaco antioxidante com efeitos neuroprotetores, que ainda não foi testado em pacientes com hidrocefalia. Objetivo: Avaliar a resposta neuroprotetora do Edaravone na hidrocefalia experimental em ratos jovens. Metodologia: A hidrocefalia foi induzida em ratos filhotes, injetando uma porção de caulim na cisterna magna. Os animais foram divididos em três grupos: controle (C) (n=10); hidrocefalia não tratada (HNT) (n=20); hidrocefalia tratado com 20mg/kg Edaravone (HTE) (n=20). O grupo tratado com a droga recebeu todos os dias, a partir do primeiro dia após a indução, uma injeção intraperitoneal com o Edaravone. Os animais foram pesados diariamente, avaliados por testes comportamentais e exame de ressonância magnética, análise histopatológica, imunoistoquímica e bioquímica. Todos os animais foram sacrificados, 14 dias após a indução de hidrocefalia. Resultados: Do terceiro ao oitavo dia após a indução de hidrocefalia, os animais ganharam menos peso do que os controles. No entanto, a partir do nono dia pós-indução, o ganho de peso foi similar nos três grupos experimentais. No teste de campo aberto e no labirinto aquático, o desempenho dos animais do grupo HTE foi melhor, quando comparado com os animais do grupo HNT. Na imunoistoquímica para GFAP, os animais do grupo HNT demonstravam astrócitos intensamente marcados com extensões grossas, enquanto que os animais do grupo de HTE tinham astrócitos mais delicados e com extensões finas. Na análise por caspase-3 os animais tratados com Edaravone mostraram um número menor de células em processos de apoptose. Conclusões: O uso do Edaravone evidenciou uma tendência a diminuir células em processo de apoptose, melhorou a resposta comportamental, e atividade dos astrócitos ligeiramente reduzida evidenciado por GFAP imunomarcação no corpo caloso de ratos jovens com hidrocefalia (AU)

Processo FAPESP: 13/04130-6 - Efeitos neuroprotetores do Edaravone na hidrocefalia experimental induzida em Ratos Wistar
Beneficiário:Camila Araujo Bernardino Garcia
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado