Busca avançada
Ano de início
Entree


Seleção genética da exploração dos braços abertos por ratos albinos e seu efeito na emocionalidade e aprendizagem

Texto completo
Autor(es):
Thiago Marques de Brito
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Silvio Morato de Carvalho; Celio Roberto Estanislau; Geison Souza Izídio; Andreia Schmidt; Ricardo Luiz Nunes de Souza
Orientador: Silvio Morato de Carvalho
Resumo

A seleção genética de comportamentos relacionados a um componente emocional do tipo ansiedade, associada ao estudo das possíveis influências desse traço sobre outros componentes emocionais como o medo, impulsividade e tarefas de aprendizagem aversiva, podem contribuir para o entendimento da ansiedade, bem como, fornecer uma base sólida para investigações neurofisiológicas, bioquímicas e moleculares da mesma. Assim, o presente trabalho selecionou duas linhagens de ratos da linhagem Wistar: uma com característica de alta exploração dos braços abertos do labirinto em cruz-elevado (Filô-HE) e outra com baixa exploração desses braços (Filô-LE), e comparou os efeitos da seleção dessas duas linhagens sobre comportamentos associados à ansiedade, medo, impulsividade e aprendizagem aversiva. Para isso, um lote de animais fornecidos pelo Biotério Central da USP-RP foram distribuídos em dois grupos distintos: (1) os que apresentavam maior exploração dos braços abertos do Labirinto em Cruz Elevado (LCE) - (Filô-HE) e (2) os com menor exploração desses braços (Filô-LE) ao longo de doze gerações (de S1 a S12, sem contar o grupo inicial do qual derivam as gerações). Na sexta, nona e décima segunda gerações, os animais foram submetidos aos seguintes testes comportamentais: LCE, Campo Aberto (somente na décima segunda), esquiva passiva, labirinto aquático de Morris (somente na décima segunda), sobressalto (que avalia a resposta de medo), e gradiente de aversão elevado (desenvolvido em nosso laboratório para medir impulsividade). Os dados indicaram a seleção de duas linhagens de ratos Wistar com características distintas para a exploração dos braços abertos do LCE. De um lado, foi selecionada a linhagem Filô-HE, que possui como principal característica, altos índices de exploração de ambientes que geralmente são evitados por outros animais. De outro, foi selecionada (até a oitava geração), a linhagem Filô-LE, que explorava muito pouco ambientes potencialmente aversivos. Tais resultados podem ser interpretados, respectivamente, como (a) baixa e alta frequência de comportamentos associados à ansiedade e medo, (b) baixa e alta frequência de comportamentos associados à impulsividade, (c) altos e baixos níveis de dificuldade na aprendizagem relacionada a memórias emocionais, ou (d) até mesmo o efeito conjunto de todas essas características comportamentais. Porém, para um conhecimento mais confiável, é necessário que os estudos supracitados passem a explorar aspectos neurofisiológicos, psicofarmacológicos, bioquímicos e genéticos, ampliando a investigação dos componentes emocionais selecionados. Bem como, promovendo um controle mais rígido dos traços selecionados e de suas relações com outros componentes que possam interferir na seleção (AU)

Processo FAPESP: 11/17764-8 - Seleção genética da exploração dos braços abertos por ratos albinos e seu efeito na emocionalidade e aprendizagem
Beneficiário:Thiago Marques de Brito
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado