Busca avançada
Ano de início
Entree


Sensibilidade a fungicidas e dinâmicas espacial e temporal de Botrytis cinerea e Colletotrichum spp.em campos de morangueiro convencionais e orgânicos

Texto completo
Autor(es):
Juliana Silveira Baggio
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Piracicaba.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Data de defesa:
Membros da banca:
Lilian Amorim; Ivan Herman Fischer; Natalia Aparecida Peres Lauretti; Louise Larissa May de Mio; Marise Cagnin Martins Parisi
Orientador: Lilian Amorim; Natalia Aparecida Peres Lauretti
Resumo

Mofo cinzento e antracnose do fruto, causados por Botrytis cinerea e Colletotrichum spp., respectivamente, são as mais importantes doenças em morangueiro. Esse estudo objetivou comparar sistemas de produção orgânico e convencional em morangueiro através da avaliação da sensibilidade de isolados de B. cinerea e Colletotrichum spp. aos principais fungicidas sítio-específicos utilizados no Brasil, e da caracterização das dinâmicas espacial e temporal das doenças com o uso de ferramentas epidemiológicas. Isolados foram coletados em campos convencionais e orgânicos em quatro diferentes Estados brasileiros nos anos de 2013 a 2015. Resistência à azoxistrobina, iprodiona e tiofanato-metílico foi encontrada em isolados de B. cinerea com valores de CE50 maiores que 71,9, 688 and 1,2 μg/ml, respectivamente. Resistência aos fungicidas acima mencionados foi observada em 87,5, 76,6 and 92,2 % dos isolados provenientes de campos convencionais e em 31,4, 22,9 and 51,4 % dos isolados oriundos de campos orgânicos, respectivamente. Além do mais, frequências de populações com resistência múltipla aos três fungicidas foram 75 e 8,6 %; e com nenhuma resistência a qualquer dos produtos, 6,25 e 34,3 % para isolados coletados em campos convencionais e orgânicos, respectivamente. Análise molecular dos genes do citocromo b, beta-tubulina e bos1 revelaram, respectivamente, a presença das mutações G143A, E198A e I365N/S, Q369P ou N373S em populações resistentes. Fungicidas aplicados preventivamente em morangos inoculados com B. cinerea falharam em controlar isolados resistentes. Isolados de C. acutatum resistentes à azoxistrobina e ao difenoconazole não foram observados. Valores médios de CE50 para isolados coletados em campos orgânicos foram 0,44 e 0,95 μg/ml; e para isolados de áreas convencionais, 0,629 e 0,107 μg/ml para azoxistrobina e difenoconazole, respectivamente. Populações de C. acutatum demonstraram insensibilidade ao tiofanato-metílico e valores de CE50 não puderam ser determinados. Nenhum dos isolados analisados continha as mutações comumente associadas à resistência a fungicidas. As dinâmicas temporal e espacial das doenclas causadas por esses patógenos foram caracterizadas na safra de 2015 em campos de morangueiro convencional e orgânico. Modelos de progresso temporal foram ajustados à incidência cumulativa de frutos ou plantas doentes no tempo com regressões não-lineares. O padrão espacial das doenças foi analisado de acordo com o índice de dispersão (D), índice de agregação (V/M) e lei de Taylor. A relação incidência-densidade de frutos doentes foi analisada com o ajuste de um modelo linear. Frutos com sintomas de Colletotrichum spp. não foram observados na área orgânica e foram encontrados em poucos dias de avaliação na área convencional. Incidência de mofo cinzento em frutos e plantas foi bem descrita pelo modelo logístico. A área orgânica apresentou incidência de doença e taxa de progresso diária maiores que da área convencional. A agregação de frutos doentes em plantas foi observada para ambos os locais. O mofo cinzento apresentou padrões epidemiológicos semelhantes para as áreas convencional e orgância, porém com maior intensidade de doença no campo orgânico, provavelmente em decorrência do manejo adotado para controle de doenças. Esse estudo reforça a importância da implementação de programas de manejo integrado de doenças em viveiros de mudas e campos de produção de morangueiro. (AU)

Processo FAPESP: 13/21930-6 - Botrytis cinerea e Colletotrichum spp. na cultura do morangueiro: sensibilidade de isolados a fungicidas e progresso espaço-temporal
Beneficiário:Juliana Silveira Baggio
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado