Busca avançada
Ano de início
Entree


Caracterização do fenótipo mutador de isolados de Proteus mirabilis.

Texto completo
Autor(es):
Marina Rocha Borges da Fonseca
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Rodrigo da Silva Galhardo; Rodrigo Tavanelli Hernandes; Carla Taddei de Castro Neves; Beny Spira
Orientador: Rodrigo da Silva Galhardo
Resumo

Cepas com altas taxas de mutação (mutadoras) foram detectadas em diversos gêneros bacterianos. A alta taxa de mutação está relacionada a defeitos em sistemas de reparo de DNA. Uma alta incidência de isolados clínicos de Proteus mirabilis com altas frequências de mutação foi descrita anteriormente. O fenômeno foi induzido em Escherichia coli, quando transformada com um plasmídeo de P. mirabilis. Com coleção de 77 isolados clínicos de P. mirabilis, medimos a frequência de mutantes espontâneos e verificamos a presença do elemento conjugativo ICE SXT/R391, para desvendar possível relação entre a presença do ICE e a frequência de mutação. 9 isolados clínicos apresentam o ICE. A frequência de mutantes mostrou que não existem mutadores verdadeiros, mas 11 isolados apresentam uma alta frequência de mutantes FosR. Considerando o alto índice de infecções por P. mirabilis, é importante entender a resistência à fosfomicina, já que esta é usada na clínica. Não existe relação entre uma frequência de mutantes espontânea e a presença de ICE SXT/R391 em isolados de P. mirabilis. (AU)

Processo FAPESP: 15/11348-3 - Caracterização do fenótipo mutador de isolados de Proteus mirabilis
Beneficiário:Marina Rocha Borges da Fonseca
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado