Busca avançada
Ano de início
Entree


Isolamento, caracterização molecular e funcional de uma nova toxina presente na peçonha do escorpião Tityus serrulatus

Texto completo
Autor(es):
Felipe Augusto Cerni
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Eliane Candiani Arantes Braga; Jose Elpidio Barbosa; Palmira Cupo; Wagner Ferreira dos Santos
Orientador: Eliane Candiani Arantes Braga
Resumo

O escorpião Tityus serrulatus (Ts) é o responsável pela maioria casos de envenenamento escorpiônicos do Brasil. Embora sua peçonha seja constituída de inúmeros componentes, as neurotoxinas apresentam maior relevância por interagirem especificamente com canais para sódio (Nav) ou potássio (Kv) dependentes de voltagem. Até o momento, já foram descritas 20 neurotoxinas (Ts1 -> Ts20) na peçonha do Ts. No entanto, através de análises ômicas, estima-se que este número seja bem superior. Toxinas que interagem seletivamente com canais iônicos são utilizadas como ferramentas farmacológicas, pois permitem a identificação de canais específicos e a determinação de seus papéis fisiológicos. Adicionalmente, estas toxinas podem ser utilizadas para o desenvolvimento de novos medicamentos para tratar doenças relacionadas a canais iônicos. Considerando o elevado potencial biotecnológicos desta classe de moléculas, o presente trabalho isolou (através de 3 etapas cromatográficas) e caracterizou uma nova toxina da peçonha de Ts, denominada Ts19 Frag-II. A nova toxina demonstrou possuir 49 resíduos de aminoácidos e massa molecular de 5534,54012 Da. Classificada como ?-KTx, especula-se que a Ts19 Frag-II seja produzida a partir de uma modificação pós-transducional, denominada neste estudo de post-splitting, de um transcrito da Ts19. A caracterização funcional da Ts19 Frag-II foi realizada utilizando diferentes ensaios de atividade biológica. Uma extensa avaliação eletrofisiológica em canais iônicos (16 Kvs e 5 Navs) expressos em oócitos de X. leavis demonstrou que a toxina é capaz de bloquear seletivamente canais para potássio do tipo Kv1.2 (IC50 = 544 ± 32 nM). Ensaios in vivo (camundongos C57BL/6) de dor revelaram que a Ts19 Frag-II (2 e 4?g) não é capaz de induzir comportamento nociceptivo espontâneo ou mecânico em camundongos, tanto pela administração intraplantar quanto pela via intratecal. Ensaios in vivo (camundongos BALB/c) também demonstraram que a nova toxina (4 e 8?g) induz aumento dos níveis séricos de ureia, ALT, ?-globulina, IL-6, TNF-?, IL-17A e NO, além de diminuir a quantidade de ?-globulinas. Adicionalmente, utilizando ensaios in vitro de cultura celular de linfócitos T CD4+, demonstrou-se que a Ts19 Frag-II (2 ?g) foi capaz de diminuir a diferenciação de células Th17, assim como suprimir sua função (diminuiu a produção de IL-17 e IL-22). Assim, no presente estudo foi realizado o isolamento e a caracterização molecular e funcional de uma nova toxina de Ts, a qual apresentou atividade neurotóxica e pró-inflamatória, podendo contribuir significativamente para a gravidade do quadro de envenenamento ocasionado pelo escorpião Ts. Adicionalmente, sua seletividade para canais Kv1.2 faz com que Ts19 Frag-II possa ser utilizada como ferramenta de estudo deste canal iônico (AU)

Processo FAPESP: 12/13590-8 - Isolamento, caracterização molecular e funcional de uma nova toxina presente na peçonha do escorpião Tityus serrulatus
Beneficiário:Felipe Augusto Cerni
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado