Busca avançada
Ano de início
Entree


Comparação do desempenho funcional e padrão de ativação muscular de tronco entre indivíduos paraplégicos fisicamente ativos e sedentários

Texto completo
Autor(es):
Paola Errera Magnani
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Flávia Roberta Faganello Navega
Orientador: Daniela Cristina Carvalho de Abreu
Resumo

A lesão medular tem como consequência a perda ou diminuição da mobilidade e sensibilidade abaixo do nível da lesão. Essa perda traz inúmeras sequelas e muitas delas podem ser minimizadas com a atividade física. O objetivo do estudo foi avaliar a independência funcional e o controle de tronco durante a atividade de alcance anterior e lateral em indivíduos com paraplegia fisicamente ativos e sedentários. Indivíduos com lesão medular foram divididos em: sedentário (LMS, n=10) e fisicamente ativos (LMFA, n=10). O grupo controle (C), sem lesão medular, foi constituído por 10 indivíduos. Para os grupos com lesão medular, foram obtidas medidas antropométricas, realizado o exame neurológico para identificação do nível e tipo de lesão, utilizando o protocolo da ASIA (American Spinal Injury Association) e o questionário de medida de independência funcional (MIF). Para a tarefa de alcance e preensão, o participante foi instruído a trazer o objeto até o colo, utilizando as duas mãos quando o objeto estava localizado anteriormente e com a mão direita quando o objeto estava na lateral, sem poder auxiliar com a mão esquerda nessa tarefa. Foi avaliada a ativação muscular concomitante as tarefas de alcance e preensão anterior e lateral por meio da eletromiografia de superfície dos músculos longuíssimo do dorso, iliocostal, multífidos, bilateralmente. Análise estatística foi realizada pelos testes t de student para amostras independentes e teste de Wilcoxon-Mann-Whitney comparações entre as médias do questionário MIF. Para comparação das médias de ativação eletromiográfica utilizamos o de Variância (ANOVA oneway) e quando necessário, testes univariados e testes post hoc com ajustes de Bonferroni foram aplicados. O padrão do comportamento muscular foi analisado considerando as séries temporais formadas pelos valores representativos do sinal EMG obtidos a cada 5% do tempo. O nível de significância para rejeição da hipótese de nulidade foi de 5% (p<0.05), com resultados expressos em média e desvio padrão. Resultados: Diferenças significativas entre os grupos LMFA e LMS foram identificadas nos domínios de autocuidado, transferências e MIF total, sendo que o grupo LMFA apresentou melhor pontuação. Já nos alcances só foram encontradas diferenças significativas entre indivíduos com e sem lesão, sendo que o controle apresentou maior alcance do que indivíduos com lesão medular. Análises de Variância (Anovas) indicaram que os músculos avaliados apresentaram ativação diferente nas atividades de alcance, notou-se um padrão de ativação muscular diferente para os grupos com lesão quando comparados com o grupo controle, já que na maioria das tarefas o grupo controle ativou significativamente mais os músculos longuíssimo do dorso e ambos os grupos com lesão ativaram mais os músculos iliocostais. Conclusão: Estes resultados indicam que o esporte após a lesão medular traz benefícios na independência funcional, principalmente relacionados a tarefas motoras. Além disso mostra um padrão de ativação muscular de tronco de indivíduos com lesão medular diferentes do padrão de ativação do grupo controle, durante tarefas de alcance para frente e para a lateral. Estudos futuros com um número amostral maior e com maior número de músculos avaliados são necessários para avaliar as estratégias usadas por esses indivíduos e assim guiar um treinamento específico, afim de melhorar o controle postural, equilíbrio, função e promover melhor qualidade de movimento. (AU)

Processo FAPESP: 13/15547-5 - Comparação do desempenho funcional e alterações osteometabólicas entre indivíduos paraplégicos fisicamente ativos e sedentários
Beneficiário:Paola Errera Magnani
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado