Busca avançada
Ano de início
Entree


Revisão e análise cladística dos gêneros de Aphilodontinae Silvestri, 1909 (Chilopoda, Geophilomorpha, Geophilidae)

Texto completo
Autor(es):
Victor de Carvalho Calvanese
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Antonio Domingos Brescovit; Amazonas Chagas Junior; Facundo Martín Labarque
Orientador: Antonio Domingos Brescovit
Resumo

Geophilomorpha é a mais diversa dentre as cinco ordens de Chilopoda, contando com 1250 espécies em sete famílias e 215 gêneros. Na região neotropical são conhecidos cerca de 320 espécies e 91 gêneros, distribuídos em cinco famílias: Balophilidae, Schendylidae, Oriydae, Mecistocephalidae e Geophilidae. Aphilodontinae atualmente pertence à Geophilidae e possui distribuição na região centro-sul do continente Sul americano e África do Sul. Atualmente conta com quatro gêneros: Aphilodon com 14 espécies, sendo destas, quatro neotropicais e 10 africanas, Mecophilus e Mecistauchenus, endêmicos do Brasil e Philacroterium, sul-africano, os três monotípicos. Neste projeto são abordadas as relações filogenéticas e a taxonomia dos gêneros de Aphilodontinae através de estudo morfológico com base no material-tipo e não tipo, encontrados nas principais coleções miriapodológicas nacionais e internacionais. Treze das dezessete espécies válidas de Aphilodontinae foram examinadas e sete novas espécies são descritas para o Brasil nos estados do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Para o estudo filogenético, 34 terminais tiveram 54 caracteres morfológicos analisados, sendo 14 obtidos na literatura e 40 testados pela primeira vez. Representantes de 20 espécies de Aphilodontinae foram commparados com no mínimo dois representantes de todas as outras subfamílias de Geophilidae, incluindo Geophilinae, Ribautiinae, Macronicophilinae, Dignathodontinae e Linotaeniinae. Dicellophilus carniolencis, de Mecistocephalidae foi utilizado para enraizamento. A análise filogenética foi realizada no programa T.N.T. sob busca exaustiva (Comando IP) com pesagem igualitária. A otimização realizada no software Winclada foi baseada na não ambiguidade de estado entre terminais. Como resultado recuperamos uma única árvore mais parcimoniosa, com 119 passos. Os resultados de nossa análise mostram uma nova disposição dos táxons em Aphilodontinae, onde: 1- Geoperingueyia (Geophilidae) deve ser transferido para Aphilodontinae. 2- Mecistauchenus e Mecophilus são sinônimos juniores de Aphilodon. 3- As espécies africanas de Aphilodon são relacionadas a espécie-tipo de Philacroterium, e, portanto, transferidas. Com base em nossos resultados fornecemos chaves de identificação para as subfamílias de Geophilidae, para os gêneros de Aphilodontinae e suas espécies, uma nova organização taxonômica para Aphilodontinae, assim como mapas de distribuição das espécies da subfamília (AU)

Processo FAPESP: 15/19675-3 - Revisão e análise cladística dos gêneros de Aphilodontidae Silvestri, 1909 (Chilopoda; Geophilomorpha)
Beneficiário:Victor de Carvalho Calvanese
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado