Busca avançada
Ano de início
Entree


Anestésicos locais: interação com membranas e fragmento do canal de sódio voltagem dependente

Autor(es):
Fraceto, Leonardo Fernandes
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Campinas. [2003]. 120 f., gráficos, tabelas.
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia
Data de defesa:
Membros da banca:
Pertinhez, Thelma de Aguiar; Pessine, Rodrigo; Villar, José Daniel Figueroa; Freund, Maria Teresa Lamy; Cilli, Eduardo Maffud
Orientador: Pertinhez, Thelma de Aguiar; Paula, Eneida de
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Bioquímica
Indexada em: Base Acervus-UNICAMP; Biblioteca Digital da UNICAMP
Localização: Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca Central Cesar Lattes; T/UNICAMP; F841a; Universidade Estadual de Campinas. Biblioteca do Instituto de Biologia; T/UNICAMP; F841a
Resumo

Várias teorias sobre o mecanismo de ação de anestésicos locais (AL) são descritas na literatura. Podemos destacar as que propõem explicar efeitos diretos dos AL sobre a proteína canal de sódio e as que levam em conta a interação dos anestésicos com a fase lipídica membranar. Também é bem conhecido que a hidrofobicidade dos anestésicos locais está diretamente relacionada com a potência anestésica clínica. Portanto, o mecanismo de ação dos anestésicos locais, seja via interação com a fase lipídica da membrana ou com a proteína canal de sódio, deve ser analisado com base nessa característica. A primeira etapa deste trabalho foi direcionada ao estudo da interação dos anestésicos, lidocaína e benzocaína, com sistemas modelos de membranas: lipossomos e ghosts de eritrócitos. Várias técnicas espectroscópicas foram empregadas na caracterização dos sistemas de estudo: ressonância paramagnética eletrônica (RPE), fluorescência, infravermelho e ressonância magnética nuclear (RMN) de hidrogênio e fósforo. Considerando que os anestésicos locais atravessam rapidamente a bicamada lipídica, a localização destes na membrana é representada por uma função de distribuição (em relação à normal da bicamada), isto é, onde os anestésicos se encontram na maior parte do tempo. O estudo da localização preferencial dos anestésicos locais nas vesículas de fosfatidilcolina de ovo e nos JKRVWV de eritrócitos mostrou que a lidocaína se posiciona próximo ao grupamento fosfato da cabeça polar dos lipídios, enquanto que a benzocaína está mais inserida na membrana junto a região do glicerol e primeiros carbonos da cadeia acila. Na segunda parte da tese estudamos, por RMN e dicroísmo circular, a interação dos AL benzocaína e lidocaína com um fragmento pertencente à alça citoplasmática S4-S5, do domínio IV, do canal de sódio voltagem-dependente, de cérebro humano (resíduos 1644- 1664, KGIRTLLFALMMSLPALFNIG-NH2, pIV/S4-S5), que está envolvido na estabilização do estado inativado do canal. Este estudo compreendeu a determinação estrutural do peptídeo SIV/S4-S5 em presença do co-solvente trifluoretanol, considerado um sistema mimético de membrana, e a caracterização da interação com os AL. (AU)

Processo FAPESP: 00/00362-0 - Anestésicos locais: interação com membranas fosfolipídicas e peptídeos do canal de sódio voltagem dependente
Beneficiário:Leonardo Fernandes Fraceto
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado