Busca avançada
Ano de início
Entree


Gametogênese e desenvolvimento embrionário de Nausithoe aurea (Scyphozoa, Coronatae) do canal de São Sebastião - SP.

Texto completo
Autor(es):
André Carrara Morandini
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Fabio Lang da Silveira; Debora de Oliveira Pires; Erika Schlenz
Orientador: Fabio Lang da Silveira
Resumo

Nausithoe aurea Silveira & Morandini, 1997 é uma espécie metagenética e dióica com fecundação externa. Os oócitos são liberados continuamente (55 dias em laboratório), porém com grandes variações no número a cada dia. No desenvolvimento embrionário a clivagem, após o estágio de 8 células, passa de holoblástica e igual para pseudoespiral. A gastrulação ocorre por ingressão multipolar e inicia-se aproximadamente 24 horas após a fecundação. A estrutura histológica geral das gônadas assemelha-se a outros Scyphozoa, onde os gonócitos proliferam a partir da gastroderme, migram e diferenciam-se na mesogléia. Na gônada masculina as células germinativas formam camadas razoavelmente distintas e constituem folículos testiculares. Na gônada feminina os oócitos surgem da zona germinativa na gastroderme e apresentam um gradiente de maturação a partir deste ponto (cortes no sentido oral-aboral). Os oócitos encontram-se livres na mesogléia da gônada, sem associação com outras células. A relação espacial entre a musculatura circular, as gônadas e o sulco coronal, é uma característica a ser usada na sistemática do gênero Nausithoe Kölliker, 1853. (AU)

Processo FAPESP: 97/03325-3 - Gametogênese e desenvolvimento embrionário de Nausithoe sp. (Scyphozoa, Coronatae) do Canal de São Sebastião, SP
Beneficiário:André Carrara Morandini
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado