Busca avançada
Ano de início
Entree


O fenômeno da tolerância oral e a regulação de células patogênicas Th17 no modelo de encefalomielite experimental auto-imune.

Texto completo
Autor(es):
Jean Pierre Schatzmann Peron
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Luiz Vicente Rizzo; Niels Olsen Saraiva Câmara; Maristela Martins de Camargo; Alexandre de Castro Keller; Leonilda Maria Barbosa dos Santos
Orientador: Luiz Vicente Rizzo
Resumo

Recentemente demonstrou-se o papel de células T produtoras de IL-17 na patogênese da esclerosa múltipla e de seu modelo, a EAE. Através da produção desta e de outras citocinas, a população chamada Th17 promove o rompimento da barreira hematoencefálica e a conseqüente infiltração de células patogênicas para dentro do SNC. Nesse contexto, em nosso trabalho utilizamos o fenômeno da tolerância oral para avaliar a capacidade deste em suprimir a resposta imune durante o modelo de EAE, mais especificamente as células Th17. Nossos dados demonstram uma diminuição de IL-17 tanto na periferia como no SNC dos animais tolerados. Além disso, detectamos menos CCL2 e IL-6 em células extraídas do CNS dia 10 pós-imunização. Não observarmos diferença na produção de IL-4,5,10, 13, IL-12p70, TNF-<font face=\"symbol\">a, e IFN-<font face=\"symbol\">g entre os grupos. Em suma, nossos resultados mostram que o fenômeno da tolerância oral é capaz de suprimir parâmetros de EAE devido a uma menor capacidade linfoproliferativa associada a uma supressão de células patogênicas Th17 tanto na periferia como no SNC. (AU)

Processo FAPESP: 03/08555-0 - Participação das células T CD4+CD25+ na regulação da uveíte experimental auto-imune
Beneficiário:Jean Pierre Schatzmann Peron
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado Direto