Busca avançada
Ano de início
Entree


Influência da associação de fluoretos à irradiação com laser de CO2 na permeabilidade do esmalte dental erodido. Avaliação in vitro e in situ

Texto completo
Autor(es):
Taisa Penazzo Lepri
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Silmara Aparecida Milori Corona; Luciano Bachmann; Fabiana Scarparo Naufel
Orientador: Silmara Aparecida Milori Corona
Resumo

O aumento da prevalência de lesões erosivas tem levado a um crescente interesse por medidas preventivas e para controle de tais lesões. Este estudo avaliou in vitro e in situ o efeito da associação de fluoretos à irradiação com laser de CO2 na permeabilidade do esmalte dental erodido. Para o experimento in vitro, foram selecionados oitenta fragmentos (n=10) de esmalte bovino (3x2x2 mm). Para formação de lesão de erosão, os espécimes foram submetidos a desafios ácidos iniciais duas vezes ao dia, durante dois dias, através de um regime alternado de erosão e remineralização. Para isso, os espécimes foram imersos individualmente em 20 ml de suco de laranja (pH 3,84) por 5 min sob agitação, enxaguados com água deionizada e armazenados em saliva artificial por 4 h. Os espécimes com as lesões de erosão pré-formadas foram divididos em 4 grupos para serem submetidos aos diferentes tratamentos: amina fluoretada (AmF), tetrafluoreto de titânio (TiF4), fluoreto de sódio (NaF) e placebo. Metade dos espécimes foi irradiada no modo contínuo com laser de CO2 ( λ= 10.6 µm; 2.0 W). Após a realização dos tratamentos, foram simulados novos desafios erosivos durante 2 dias, utilizando o mesmo protocolo descrito anteriormente. Terminadas as ciclagens, os espécimes foram preparados para a avaliação da permeabilidade, sendo submetidos ao método de coloração histoquímica. Uma vez obtidos os resultados do estudo in vitro, foi conduzido um experimento in situ constituído por um delineamento crossover, com duas fases de 5 dias cada. No estudo in situ, os fatores em estudo foram os tratamentos (TiF4 e placebo) e a aplicação do laser de CO2 (presente ou ausente.) Os fragmentos de esmalte bovino foram montados em dispositivo palatino para serem instalados nos participantes para a realização dos desafios erosivos, através da ingestão de 10 alíquotas de 25 ml cada, (9, 11, 13 e 15h). A avaliação da permeabilidade foi realizada conforme descrita para o estudo in vitro. Os dados foram analisados através da ANOVA e Tukey. No estudo in vitro, houve interação significativa entre fluoreto e laser (p=0,0152). Quando os géis fluoretados foram aplicados sozinhos, TiF4 promoveu menor permeabilidade do esmalte do que aquela observada após a aplicação do placebo, enquanto resultados intermediários foram encontrados para os géis de NaF e AmF. Redução na permeabilidade do esmalte foi observada quando a aplicação dos fluoretos foi associada à irradiação com laser de CO2 . No estudo in situ, houve efeito significativo da interação entre os fatores fluoreto e laser de CO2 (p = 0,0002). Em relação ao placebo, a aplicação do TiF4 reduziu significativamente a permeabilidade do esmalte, para substratos irradiados ou não. Mediante a aplicação do placebo, o laser foi capaz de reduzir significativamente a permeabilidade do esmalte, porém, quando se utilizou o TiF4, a aplicação do laser não implicou em redução da permeabilidade. Combinada à aplicação de gel fluoretado, a irradiação com laser de CO2 pode representar uma medida adjuvante no controle da permeabilidade do esmalte erodido. (AU)

Processo FAPESP: 08/08863-0 - Influência da associação de diferentes tipos de fluoretos à irradiação com laser de CO2 no controle da progressão de lesões de erosão. avaliação in vitro e in situ
Beneficiário:Taisa Penazzo Lepri
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado