Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação da qualidade da dieta de adolescentes com HIV/Aids e seus fatores associados

Texto completo
Autor(es):
Luana Fiengo Tanaka
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Saúde Pública
Data de defesa:
Membros da banca:
Maria do Rosario Dias de Oliveira Latorre; Regina Mara Fisberg; Aluisio Augusto Cotrim Segurado
Orientador: Maria do Rosario Dias de Oliveira Latorre
Resumo

INTRODUÇÃO: a introdução de esquemas antirretrovirais altamente potentes, no tratamento da Aids pode estar associada ao aparecimento de alterações metabólicas em pacientes com HIV/Aids. Além da terapia antirretroviral, outros fatores, como a dieta podem contribuir para o aparecimento dessas alterações em adolescentes com HIV/Aids. Assim, faz-se necessária a avaliação da qualidade da dieta de indivíduos dessa população. OBJETIVO: analisar a qualidade da dieta de adolescentes com HIV/Aids. MÉTODOS: Trata-se de um estudo transversal aninhado a uma coorte de pacientes com HIV/Aids atendidos pela Unidade de Infectologia do Instituto da Criança (ICr-São Paulo). Foram avaliados 88 adolescentes (10 a 19 anos). Informações sobre o histórico da doença e uso de medicamentos foram obtidas a partir de prontuários médicos. Os adolescentes responderam a dois recordatórios de 24 horas e um questionário sobre atividade física habitual. Peso, altura e circunferência da cintura foram medidos em duplicata. A qualidade da dieta foi avaliada por meio do Índice de Qualidade da Dieta (IQD-R). O IQD-R é composto de 12 itens e a pontuação final varia de 0 a 100 pontos. Foram calculados os coeficientes de correlação de Pearson entre o IQD-R e as variáveis independentes. Também foram feitas as comparações das médias do IQD-R segundo as variáveis independentes pelo teste t-Student ou Mann-Whitney. RESULTADOS: a média para o IQD-R foi 51,90 pontos (EP=0,90 pontos). Os componentes que apresentaram menores médias foram cereais integrais e sódio. Os componentes que tiveram maiores médias foram cereais totais e óleos. Adolescentes moradores de casas de apoio tiveram média maior para fruta total e menor para carnes e leguminosas, quando comparados aos adolescentes que moravam com a família. Meninas apresentaram média maior para leite e derivados e menor para calorias provenientes de gorduras sólidas, bebidas alcoólicas e açúcares adicionados quando comparadas com meninos. CONCLUSÃO: os adolescentes com HIV/Aids avaliados apresentaram padrão de consumo alimentar semelhante ao de adolescentes da população geral: alto consumo de açúcar, gordura saturada e sódio e consumo insuficiente de cereais integrais e frutas. Atenção especial deve ser dada à dieta de adolescentes com HIV/Aids, pois eles estão em maior risco de desenvolver doenças cardiovasculares ou outras doenças crônicas. (AU)

Processo FAPESP: 10/01187-9 - Avaliação da qualidade da dieta e níveis de atividade física em adolescentes vivendo com HIV/AIDS
Beneficiário:Luana Fiengo Tanaka
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado