Busca avançada
Ano de início
Entree


Memória das Ilusões: um estudo de Ressureição, primeiro romance de Machado de Assis

Texto completo
Autor(es):
Amanda Rios Herane
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Data de defesa:
Membros da banca:
Helio de Seixas Guimaraes; John Angus Gledson; Leopoldo Garcia Pinto Waizbort
Orientador: Helio de Seixas Guimaraes
Resumo

Esta pesquisa consiste em uma leitura de Ressurreição (1872), primeiro romance de Machado de Assis. Em vez de explorar a relação do livro com o restante da obra do autor (o que se realiza apenas no fechamento do texto, de forma indicativa), este trabalho desenvolve um estudo voltado prioritariamente para os elementos internos de Ressurreição. Pretendo evidenciar que o romance se estrutura em torno de uma avaliação do comportamento dos personagens que se associa a uma defesa do matrimônio na sociedade carioca da segunda metade do século XIX, elaborando uma representação do casamento marcada pela ambiguidade e pelo elogio da conformidade às instituições dominantes. Em uma leitura do conjunto da produção machadiana, a crítica do século XX a separou em dois momentos, cujo marco divisório seria o romance Memórias Póstumas de Brás Cubas (1880), situando Ressurreição na primeira dessas duas fases. No primeiro capítulo, são abordados os pressupostos que conduziram a essa cisão, tendo-se em vista o debate sobre o alinhamento de Ressurreição aos outros três romances da primeira fase de Machado de Assis. O capítulo também abarca o modo como o primeiro romance machadiano foi recebido pelos críticos do século XIX e pela crítica mais recente. O segundo capítulo traz uma aproximação da obra a partir das diretrizes oferecidas por Machado de Assis na advertência da primeira edição de Ressurreição. Tais indicações, postas em relação ao argumento do romance, sugerem um caminho de leitura para o livro cujas implicações são associadas, nesta parte do trabalho, a discussões levantadas por G. Lukács e Ian Watt sobre a forma romanesca. O terceiro capítulo centra-se em algumas contradições do discurso do narrador, que aparecem especialmente em sua perspectiva sobre o casamento, de modo que essa parte da pesquisa conta com uma abordagem das relações matrimoniais no Brasil do século XIX. O sentido das contradições do narrador e a inscrição de Ressurreição na obra machadiana são problemas que podem não estar dissociados, e são as principais inquietações que subjazem a este trabalho. (AU)

Processo FAPESP: 08/07771-4 - Memória das Ilusões: um estudo de Ressurreição, primeiro romance de Machado de Assis
Beneficiário:Amanda Rios Herane
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado