Busca avançada
Ano de início
Entree


Utilização de marcadores moleculares no estudo populacional de Leishmania infantum chagasi no Brasil

Texto completo
Autor(es):
Diego Peres Alonso
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Botucatu. 73 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Botucatu).
Data de defesa:
Membros da banca:
Guilherme Loureiro Werneck; Elisa Cupolillo; Hiro Goto; Celso Luis Marino
Orientador: Paulo Eduardo Martins Ribolla
Resumo

A leishmaniose é uma doença parasitária causada por protozoários do gênero Leishmania, e transmitida através da picada de fêmeas de mosquitos da família Plebotomidae. As formas clínicas da leishmaniose são particularmente variadas tendo como forma mais grave a leishmaniose visceral (LV) ou calazar. No Brasil a LV é causada pelo protozoário L.infantum chagasi e transmitida pelo flebotomíneo Lutzomyia longipalpis, os principais reservatórios que participam do ciclo zoonótico são canídeos selvagens e cães domésticos. O fato de as leishmanioses, de uma maneira geral, apresentarem um amplo espectro no que diz respeito à sintomatologia da doença, aliado a grande diversidade das espécies de hospedeiros infectados, sugere a presença de variantes genéticas do parasita. No caso da leishmaniose visceral, por exemplo, variantes genotípicas de L.infantum chagasi interagindo com diferentes espécies de hospedeiros podem ter papel fundamental na dinâmica de transmissão e virulência de possíveis epidemias. O presente estudo teve como meta identificar possíveis variantes genotípicas de L. infantum chagasi presentes na área endêmica de Teresina no Estado do Piauí, e comparar com os genótipos encontrados em Campo Grande no Estado de Mato Grosso do Sul e Bauru no Estado de São Paulo, visto que a história natural da doença nessas regiões é muito mais recente do que no Estado do Piauí. O estudo utilizou marcadores microssatélites já descritos na literatura, seqüenciamento de regiões gênicas codificantes e não-codificantes e também a técnica de PCR-RFLP do DNA do cinetoplasto (kDNA) do parasita, para a obtenção de perfis genéticos que possibilitem relacionar as diferenças genotípicas com as diferentes origens geográficas dos parasitas isolados como um primeiro passo para a eleição e aplicação de um marcador molecular robusto para o estudo populacional... (AU)

Processo FAPESP: 06/61151-2 - Utilização dè marcadores microssatélites N‚O estudo populacional dè Leishmania chagasi N‚O Brasil
Beneficiário:Diego Peres Alonso
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado